Política e Administração Pública

Maiores bancadas governistas defendem manutenção de veto a jornada de psicólogos

11/03/2015 - 15:15  

PT, PMDB, PP, PR estão unidos para manter o veto ao projeto (PL 3338/08) que fixa a carga horária máxima de trabalho do psicólogo em 30 horas semanais, proibindo ainda a redução de salário. A proposta determina ainda que a definição do percentual de remuneração extraordinária deve ser fixada por instrumento coletivo de trabalho. Para o governo, o impacto orçamentário da medida justifica o veto.

Assista ao vivo

O deputado Osmar Terra (PMDB-RS) defendeu que seria melhor aumentar os salários dos psicólogos em vez de reduzir a jornada. “Vamos diminuir o tempo de trabalho para terem um segundo emprego? Não, temos de melhorar o salário”, disse.

O líder do PT, deputado Sibá Machado (AC), voltou a dizer que o Executivo defende uma negociação que incluía estados, municípios, e todas as categorias do Sistema Único de Saúde (SUS). “Gostaríamos que a gente fizesse um pacote de discussão global”, declarou. Para o líder do governo no Congresso, senador José Pimentel (PT-CE), são os estados os maiores contrários à jornada menor para os psicólogos.

Já partidos de oposição, além de Psol, PV, entre outros, querem derrubar o veto. Vice-líder do DEM, o deputado Pauderney Avelino (AM) afirmou que os psicólogos têm direito a uma jornada menor. O deputado Domingos Sávio (PSDB-MG) sustentou que não pode haver diferenças entre as categorias do SUS. Os médicos, por exemplo, têm jornada de 20 horas semanais. “Isso foi debatido profundamente por anos”, disse.

Para ser derrubado, o veto precisa do voto contrário da maioria absoluta de deputados (257) e senadores (41).

Continue acompanhando esta cobertura.

Reportagem – Carol Siqueira
Edição – Marcelo Oliveira

Tempo real:

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.