Política e Administração Pública

PTC vai combater aumento de impostos

19/02/2016 - 15:34  

Gustavo Lima
Uldurico Junior
Uldurico Junior disse que a quantidade de impostos paga hoje pelo povo brasileiro é inaceitável

Deputado mais jovem a assumir o mandato em 2015, o representante do PTC, Uldurico Junior (BA), hoje com 24 anos, diz que a prioridade da sua legenda é a defesa do trabalhador brasileiro. Contrário a qualquer aumento de tributo, o parlamentar critica a possível recriação da CPMF e diz que o País precisa de uma reforma tributária. “Não suportamos mais a quantidade de impostos que pagamos”, afirma.

Uldurico Junior é o único deputado do PTC na Câmara dos Deputados e está em seu primeiro mandato.

A Agência Câmara está publicando entrevistas com todos os líderes de bancadas escolhidos ou reconduzidos neste ano.

Quais são as prioridades do PTC na Câmara em 2016?
As prioridades sempre foram e continuam sendo a defesa dos trabalhadores, buscando mais direitos para os que mais precisam. Eles são a grande maioria no nosso País e precisam de uma voz que realmente represente a vontade do povo aqui dentro.

A legenda é contra ou a favor da proposta de recriação da CPMF?
Totalmente contrária. Neste ano, o nosso povo vai começar a pagar R$ 4 pelo litro de gasolina. Ninguém aceita mais a quantidade de impostos que estamos pagando. Se precisarmos ter medidas para arrecadar mais, teremos de pensar em alternativas, e não colocar aqueles que já pagam muito para pagar ainda mais a farra com o dinheiro público.

O partido já está discutindo a reforma da Previdência?
Ainda estamos fechando uma posição a respeito da Previdência.

E a prorrogação da DRU (Desvinculação de Receitas da União)?
Está na mesma situação. Estamos discutindo com o governo, sabendo o que pensa a oposição. O PTC é um partido independente aqui na Casa. Estamos em discussão para saber o que seria melhor, pensando sempre no povo brasileiro.

A legenda tem alguma definição com relação à reforma tributária?
É a mesma questão da CPMF. Nós não suportamos mais a quantidade de impostos que pagamos hoje. Acreditamos que uma reforma tributária deva ser feita, mas discutindo amplamente, porque é um assunto bem complexo. Até o dia da votação, teremos muita discussão para fazer.

Reportagem – Noéli Nobre
Edição – João Pitella Junior

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.