Política e Administração Pública

Doação de imóveis a parentes não teve a ver com Pasadena, diz Cerveró

10/09/2014 - 19:14  

O ex-diretor da área internacional da Petrobras Nestor Cerveró negou que tivesse doado imóveis a parentes para escapar de um possível bloqueio de bens por ordem do Tribunal de Contas da União (TCU). Cerveró depõe neste momento na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras.

Segundo ele, "foi uma antecipação de herança", que nada tem a ver com as denúncias sobre prejuízos da Petrobras na compra da refinaria de Pasadena (EUA). Cerveró ressaltou que a decisão de doar os bens foi tomada antes de qualquer manifestação do TCU e que a intenção dele não foi se desfazer do patrimônio.

O TCU investiga irregularidades na compra da refinaria e já chegou à conclusão – após aprovar relatório do ministro José Jorge – de que diretores da companhia devem devolver 792 milhões de dólares aos cofres públicos. O custo total do empreendimento, incluindo uma disputa judicial com a ex-sócia da Petrobras, Astra Oil, ficou em 1,2 bilhão de dólares.

Youssef
Indagado sobre sua relação com o doleiro Alberto Youssef, Cerveró disse que não o conhece, nem a contadora dele, Meire Poza. Youssef foi preso pela operação Lava Jato, da Polícia Federal, acusado de integrar uma organização criminosa que desviou dinheiro público, inclusive da Petrobras.

A reunião da CPMI da Petrobras ocorre no plenário 2 da ala Nilo Coelho, no Senado.

Continue acompanhando a cobertura desta reunião.

Assista ao vivo.

Da Redação – PT
Com informações da Agência Senado

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.