Com a Palavra

Lixo eleitoral aumenta em comparação a 2010

Publicação: 07/10/2014 - 11:20

  • Lixo eleitoral aumenta em comparação a 2010

Marcelo Camargo/ABr
Lixo eleitoral
Quase 300 toneladas de material de campanha foram recolhidas no DF

Menos de 48 horas após o primeiro turno das eleições, as principais capitais brasileiras ainda sofrem com o lixo eleitoral despejado pelos candidatos e cabos eleitorais. No Distrito Federal, cerca de três mil garis vão estar nas ruas até quarta-feira para recolher santinhos, placas e faixas usados durante as eleições.

De acordo com Tribunal Regional Eleitoral do DF, às vésperas do pleito, quase 300 toneladas de material de campanha já tinham sido recolhidas por poluir as vias públicas, um recorde comparado às eleições de 2010, quando o lixo eleitoral atingiu 120 toneladas.

Em entrevista ao Com a Palavra..., o juiz da Coordenação de Organização e Fiscalização da Propaganda Eleitoral do TRE-DF, Daniel Carnacchioni, esclareceu que distribuição dos papéis de propaganda política é permitida até às 22h do dia que antecede a eleição. A permanência do material nas ruas até a meia-noite configura infração administrativa. Somente a partir desse horário é que o ato passa a configurar crime eleitoral. O problema, no entanto, é a dificuldade em se identificar o autor da prática, que acaba saindo impune.

Mas, e agora? Quem deve se responsabilizar pela coleta dos materiais de campanha? O eleitor ainda pode denunciar? Qual o destino para todo esse lixo eleitoral recolhido nas ruas? Confira a íntegra da entrevista.

Apresentação – Elisabel Ferriche e Lincoln Macário

Programa ao vivo com reportagens, entrevistas sobre temas relacionados à Câmara dos Deputados, e o que vai ser destaque durante a semana.

facebook twitter rss

Todas as Edições