Ciência, tecnologia e Comunicações

CPMI das Fake News quer ouvir Joice, Delegado Waldir e integrantes do governo

23/10/2019 - 16:32  

A CPI Mista das Fake News aprovou, nesta quarta-feira (23), a convocação de dois integrantes do segundo escalão do governo: Fábio Wajngarten, secretário especial de Comunicação Social da Presidência, e Filipe Martins, assessor especial da Presidência para assuntos internacionais.

Marcos Oliveira/Agência Senado
Comissão analisou 96 requerimentos
Comissão analisou 96 requerimentos nesta quarta-feira

A CPMI também aprovou convites a dois deputados federais que estiveram no centro da recente crise no PSL, o partido de Jair Bolsonaro: Delegado Waldir (GO), ex-líder da bancada na Câmara, e Joice Hasselmann (SP), ex-líder do governo no Congresso, também poderão depor.

Foi aprovado, ainda, convite ao ex-ministro Carlos Alberto dos Santos Cruz, da Secretaria-Geral da Presidência da República.

Outros nomes ligados ao governo foram convocados, dentre eles o empresário Paulo Marinho, primeiro suplente do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ); o empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas de departamentos Havan; o cineasta Josias Teófilo, diretor de um documentário sobre o filósofo Olavo de Carvalho; e o influenciador digital Bernardo Pires Kuster.

A comissão convidou também os jornalistas Luís Nassif e Felipe Moura Brasil, além de representantes de portais especializados em checagem de notícias (como E-Farsas, Aos Fatos, Agência Lupa, Estadão Verifica e Fato ou Fake) e de blogs políticos ligados à oposição (como Revista Fórum, Brasil 247, Brasil de Fato e Diário do Centro do Mundo).

Um convite curioso aprovado pela CPI mista das fake News foi o da senadora americana Elizabeth Warren. Atualmente ela é uma das favoritas à indicação do Partido Democrata para a próxima eleição presidencial dos Estados Unidos, em 2020. A iniciativa foi da deputada Lídice da Mata (PSB-BA).

A maior parte requerimentos foi apresentada por parlamentares da oposição. Já os membros da base do governo na CPI mista conseguiram aprovar uma convocação seu interesse: a da presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR).

No total, 67 dos 96 requerimentos na pauta da CPI foram aprovados.

Representação judicial
Durante a reunião da CPI, o deputado Ivan Valente (Psol-SP) comunicou que o seu partido vai impetrar uma representação na Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Jair Bolsonaro. Segundo Valente, o processo poderá resultar em denúncia de crime de responsabilidade contra o presidente.

O deputado explicou que é possível ligar ataques virtuais contra parlamentares e membros do Supremo Tribunal Federal (STF) ao núcleo do governo. Se ficar provado o envolvimento de Bolsonaro, esses atos podem ser enquadrados como ameaças ao funcionamento das instituições do país.

 

Da Redação - AC (com informações da Agência Senado)

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.