Política e Administração Pública

Seminário no Rio de Janeiro discutiu impactos da reforma tributária

Roteiro de trabalho da comissão prevê a realização de seminários em todas as regiões do País

08/10/2019 - 12:09  

A Comissão Especial da Reforma Tributária (PEC 45/19) discutiu ontem, no Rio de Janeiro, os impactos da proposta nos setores público e produtivo.

O texto em análise na comissão prevê a extinção de três tributos federais (IPIPIS e Cofins), o ICMS (estadual) e o ISS (municipal), todos incidentes sobre o consumo. No lugar, serão criados um tributo sobre o valor agregado, chamado de Imposto sobre Operações com Bens e Serviços (IBS) – de competência dos três entes federativos –, e outro sobre bens e serviços específicos (Imposto Seletivo), de competência federal.

“A reforma tributária é a mais importante dessa legislatura. A reforma da Previdência era a mais urgente, mas é a tributária que vai dar base para a retomada do crescimento do País”, afirmou o deputado Paulo Ganime (NOVO-RJ), que participou do evento na capital fluminense.

Como previsto no roteiro de trabalho, a comissão está realizando seminários em todas as regiões do País.

Também estiveram presentes no evento no Rio, o presidente da comissão, Hildo Rocha (MDB-MA); o 1º vice-presidente do colegiado, deputado Sidney Leite (PSD-AM); e os deputados Marcelo Calero (CIDADANIA-RJ) e Pedro Paulo (DEM-RJ).

 

 

 

Da Redação - ND

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Íntegra da proposta