Economia

Consultor destaca que conhecimento da Petrobras deve ser utilizado em investimentos

09/08/2016 - 11:19  

Assista ao vivo

Consultor legislativo da Câmara dos Deputados, Paulo Lima defendeu há pouco que o conhecimento acumulado pela Petrobras com a exploração de mais de 170 campos de pré-sal na Bacia de Campos seja usado como balizador dos investimentos no setor.

Segundo o consultor, existe uma relação direta entre a renda recebida pelo Estado brasileiro e a decisão de a Petrobras ser ou não operadora obrigatória dos campos de pré-sal. “Quanto maior o custo de produção, menos o Estado vai receber”, disse Lima, destacando que o curso de aprendizado da estatal brasileira já permitiu reduzir o custo de extração para US$ 8 por barril.

“Se estamos com um cenário de preço do petróleo entre US$ 40 e US$ 50 o barril , o custo de extração vai ser abatido do excedente em óleo. Ou seja, é muito importante que a Petrobras seja operadora de áreas estratégicas e é muito importante que o Congresso defina o que são essas áreas estratégicas”, disse Lima.

Por outro lado, o secretário de Relações Internacionais da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), José Pereira, disse que o Brasil não deve alterar a legislação sobre suas reservas de Petróleo. Segundo ele, historicamente, o segmento do petróleo passa por diversas oscilações ao longo dos anos e os interesses nacionais não devem se submeter a esses ciclos.

“A proposta (PL 4567/16) quer inviabilizar um grande processo de investimento na saúde, na educação, na indústria nacional e em toda a cadeia produtiva de gás e petróleo. Nós consideramos que a legislação deve ser mantida intacta”, sustentou.

Eles participam de Comissão Geral formada para debater o Projeto de Lei 4567/16, que retira a obrigatoriedade de atuação da Petrobras como operadora única de todos os blocos contratados pelo regime de partilha de produção em áreas do pré-sal. O debate foi proposto pelo deputado Carlos Zarattini (PT-SP).

Mais informações a seguir.

Reportagem – Murilo Souza
Edição – Mônica Thaty

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Sua opinião sobre: PL 4567/2016

Íntegra da proposta