Educação, cultura e esportes

Governo vai investir no combate ao doping, diz especialista

25/06/2013 - 20:55  

Antônio Araújo / Câmara dos Deputados
Audiência pública sobre a atual situação do doping no esporte brasileiro. Dep. Romário (PSB-RJ)
Romário quer apurar se o Comitê Organizador Local da Copa vai pagar pelos exames antidoping durante a Copa de 2014.

O diretor-executivo da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem, Marco Aurelio Klein, afirmou, nesta terça-feira (25), na Câmara que a entidade elaborou um plano estratégico para combater o uso de substâncias proibidas no esporte e que o governo federal deve aportar recursos.

Klein participou de audiência pública da Comissão de Turismo e Desporto para debater a atual situação do doping no esporte brasileiro. "Nós precisamos realmente investir muito na informação, na educação, porque investindo na informação e na educação conseguimos fazer prevenção."

Laboratório nacional
Em abril do ano que vem, será inaugurado no Rio de Janeiro, o Laboratório de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico (Ladetec), que vai examinar os jogadores de futebol.

O Ladetec terá prédio próprio inaugurado em abril de 2014, no campus Fundão da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). De acordo com Marco Klein, o laboratório será usado depois dos eventos esportivos também para exames forenses, como elucidação de crimes.

Já na visão do professor Eduardo Henrique de Rose, especialista em doping e diretor do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), também é necessário investir em infraestrutura. "No meu entendimento, nós precisamos de uma atualização de área física, de equipamentos, de instalações e de pessoal."

Olimpíadas e Copa de 2014
O Ladetec deve realizar cerca de 6 mil exames durante os 15 dias da Olímpiada do Rio em 2016. Na opinião do professor Eduardo de Rose, “é um ritmo muito pesado para o laboratório".

De acordo com Eduardo de Rose, em 2011, de 5.617 controles feitos com atletas, apenas 0,76% foram positivos. No futebol, 0,28% de 3.945 jogadores foram pegos nos exames de antidopagem.

Quem elabora normas mundiais antidoping é a World Anti-Doping Agency (Wada), órgão ligado ao Comitê Olímpico Internacional (COI).

Recente pesquisa com 4.426 atletas, 82,58 % deles disseram que jamais foram submetidos a um exame anti-doping.

O ex-jogador de futebol, o deputado Danrlei de Deus Hinterholz (PSD-RS) defendeu o uso da coleta de sangue para apurar melhor o doping. Danrlei lembrou como era no seu tempo de atleta. "Hoje nós já tínhamos que ter no Brasil condições de fazer o exame de sangue."

Eduardo de Rose informou que não há laboratório brasileiro para controle de doping por coleta sangue, apenas através da urina. O sangue é remetido para cidade de Lausanne, na Suíça.

Para a Copa do Mundo e as Olímpiadas, os exames de sangue ainda terão que ser encaminhados para Lausanne.

O presidente da Comissão de Turismo e Desporto, deputado Romário (PSB-RJ), afirmou que investigará se realmente o Comitê Organizador Local da Copa (COL), é quem vai pagar pela realização dos exames antidoping durante o Mundial de 2014. 

Reportagem - Wamberto Noronha
Edição – Regina Céli Assumpção

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.