Economia

Aureo Ribeiro é eleito presidente da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle

O deputado informou que a primeira reunião da comissão será realizada de maneira remota na próxima quarta-feira

10/03/2021 - 12:15  

O deputado Aureo Ribeiro (Solidariedade-RJ) (Solidariedade-RJ) foi eleito presidente da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle nesta quarta-feira (10) para um mandato de um ano. Ele recebeu 11 de um total de 14 votos – dois em branco.

Empossado como presidente, Ribeiro reafirmou o compromisso do colegiado com independência. “Reafirmo nosso compromisso de independência, no momento em que o Brasil precisa fiscalizar os gastos públicos, no momento em que sofremos com a pandemia e recursos são enviados aos estados.  Por isso, temos que ter aqui uma atuação firme contra a corrupção para fazer o Brasil avançar”, declarou.

“A CFFC tem um papel importante, uma vez que ela trabalha junto do TCU [Tribunal de Contas da União]. É fundamental que o País tenha boas práticas administrativas, agilidade, menos burocracia, mas, sobretudo, controle do gasto público. Então a comissão vai trabalhar de forma inteligente, com independência, para vencer a burocracia e garantir transparência e controle do gasto publico brasileiro”, acrescentou.

Ele informou que a primeira reunião da comissão será realizada de maneira remota na próxima quarta-feira (17), às 9 horas.

Perfil
Aureo Ribeiro, 41, é empresário, natural de Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, e está no terceiro mandato de deputado federal. Já foi líder do Solidariedade em 2018 e tem atuado como vice-líder do partido desde 2013.

Ribeiro já é membro titular de diversas comissões permanentes da Câmara, como Trabalho, Administração e Serviço Público; Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio; Defesa do Consumidor; Constituição e Justiça e de Cidadania; e da própria Comissão de Fiscalização Financeira e Controle.

Participou, também como titular, das comissões especiais do Estatuto da Família (PL 6583/13) e da Liberdade do Ensino Religioso (PL 6314/05); e das comissões parlamentares de inquérito (CPIs) da Máfia das Órteses e Próteses, e de Maus Tratos de Animais.

Saiba por que as comissões são importantes

Reportagem - Murilo Souza 

Edição - Marcia Becker

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.