Cidades e transportes

Projeto prevê validade de 12 meses para créditos de vale-transporte

Benefício poderá ser utilizado mesmo após reajuste de tarifas

16/11/2020 - 14:33  

O Projeto de Lei 5126/20 estabelece validade de 12 meses para os créditos de vale-transporte concedidos ao trabalhador e permite sua utilização mesmo após reajuste de tarifas no período.

A proposta é do deputado Hugo Leal (PSD-RJ) e tramita na Câmara dos Deputados. O texto altera a Lei do Vale-Transporte, que hoje determina que o vale-transporte perde sua validade após 30 dias da data de reajuste tarifário.

Michel Jesus/Câmara dos Deputados
Dep. Hugo Leal (PSD - RJ) na tribuna, com máscara na mão
Hugo Leal quer evitar mercado clandestino de vale-transporte com deságio

“A medida visa ainda a impedir que o trabalhador que não utilizar todos os seus créditos procure um mercado clandestino de compra ilícita de benefício social, por vezes cobrando deságio de mais de 50% do valor do crédito, como forma de impedir a expiração das quantias depositadas em seus cartões eletrônicos e não utilizadas”, explica Hugo Leal.

Ainda conforme o texto, o usuário poderá solicitar e restituição dos valores não utilizados, após a validade, a qualquer tempo, devendo ser reembolsado em até 30 dias.

Pela lei vigente, o trabalhador arca com os custos da tarifa de transporte limitados a 6% do seu salário. À empresa cabe o custo excedente ao valor e a responsabilidade de operacionalizar a solução junto às empresas de transporte.

Conheça a tramitação de projetos de lei

Reportagem – Noéli Nobre
Edição – Cláudia Lemos

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Íntegra da proposta