Política e Administração Pública

Seguridade Social aprova prioridade no SUS para vítima de violência

Elas terão prioridade em serviços de assistência psicológica e social e preferência na realização de cirurgia plástica reparadora

03/10/2019 - 18:53  

A Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 715/19, da deputada Marília Arraes (PT-PE),  que prevê prioridade para atendimento,  no Sistema Único de Saúde (SUS), de mulheres vítimas de agressão.

Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Padilha: sistema de atendimento à mulher vítima de violência precisa ser eficaz

Pela proposta, elas terão prioridade em serviços de assistência psicológica e social e preferência na realização de cirurgia plástica reparadora. A regra vale para mulheres que, em decorrência de agressão, passem a apresentar qualquer deformidade ou deficiência atestada por laudo médico.

O relator, deputado Alexandre Padilha (PT-SP), destaca que o sistema de atendimento à mulher vítima de violência precisa ser eficaz. “O rápido tratamento facilitará a recuperação física e psicológica”, disse.

Ações
A proposta aprovada também prevê que o Poder Executivo promova as seguintes ações:
– realização periódica de campanhas de orientação e publicidade institucional;
– distribuição gratuita de remédios durante o pré e o pós-operatório;
– encaminhamento para clínica especializada dos casos indicados para contemplação diagnóstica ou tratamento, quando necessário;
– controle estatístico dos casos de atendimentos.

Conforme o texto, os recursos financeiros destinados a essas despesas serão alocados para o ano subsequente à sua aprovação e provenientes da programação orçamentária de saúde. Poderão ser realizados convênios para efetivação das medidas.

Tramitação
A proposta, que tramita em caráter conclusivo, já foi aprovada pela Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher. Agora, segue para análise das comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Reportagem - Carol Siqueira
Edição - Ana Chalub

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Íntegra da proposta