Meio ambiente e energia

CPI de Brumadinho quer votar relatório neste mês com pedido de indiciamento da Vale

Texto também pedirá o indiciamento da Tüv Süd, empresa que atestou a estabilidade da barragem que se rompeu em janeiro

05/09/2019 - 15:40  

O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) de Brumadinho, deputado Rogério Correia (PT-MG), anunciou que vai apresentar seu relatório ainda neste mês, pedindo o indiciamento da Vale do Rio Doce e da empresa alemã Tüv Süd pelo crime socioambiental que vitimou cerca de 270 pessoas no fim de janeiro. A Tüv Süd foi contratada pela mineradora para fazer auditoria e emitiu atestado de estabilidade da barragem que se rompeu. A lama de rejeitos de minério de ferro atingiu parte do centro administrativo da Vale, a comunidade Córrego do Feijão e o rio Paraopeba, afluente do rio São Francisco.

Vinicius Loures/Câmara dos Deputados
Correia:  CPI ainda vai examinar documentos da quebra de sigilos telefônicos e de e-mails

Correia destacou que, em outubro, o Ministério Público, além do parecer da CPI, terá acesso a outro relatório que está sendo elaborado pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais e uma análise técnica da tragédia.

"O MP poderá indiciar mais de 20 pessoas e as duas empresas com responsabilidade criminal. Que a Justiça seja rigorosa porque, no caso de Mariana (MG), até hoje ninguém foi punido."

Criada em abril, a CPI fez várias audiências na Câmara e em Brumadinho, a fim de ouvir grande parte dos envolvidos no rompimento da barragem do Córrego do Feijão, além de representantes das famílias das vítimas.

Para concluir o relatório, Rogério Correia informou que ainda vão ser examinados por uma força-tarefa da CPI documentos provenientes da quebra de sigilos telefônico e de e-mails, já que os sigilos fiscais e bancários foram barrados na Justiça. Também será realizada uma última audiência pública em Belo Horizonte para acatar as sugestões das pessoas atingidas pela tragédia.

Reportagem - Regina Céli Assumpção
Edição - Marcelo Oliveira
  • Áudio da matéria

    Ouça esta matéria na Rádio Câmara

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.