Educação, cultura e esportes

Orçamento para a área de C&T será 25% menor em 2018, diz dirigente

21/11/2017 - 14:43  

Na comissão geral para debater a crise nas instituições de ensino superior do País, nesta terça-feira (21), os participantes lamentaram os cortes orçamentários, previstos na proposta do governo para 2018, para a educação profissional e para a área de ciência e tecnologia.

O presidente do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), Francisco Brandão, afirmou que, se não houver proposta de recomposição orçamentária, diversos programas e projetos de expansão da educação tecnológica do Brasil que estão dando certo serão encerrados.

“Nossa equipe econômica está indo na contramão das equipes econômicas do mundo”, observou o presidente da Academia Brasileira de Ciências, Luiz Davidovich. Segundo ele, diversos países desenvolvidos apostam em ciência e tecnologia para vencer a crise, enquanto o Brasil cortou mais 25% no orçamento da área de ciência e tecnologia na proposta para 2018, que se soma à corte de 44% feito no orçamento de 2017.

“Retrocesso gigantesco”
O presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Ildeu Moreira, também listou uma série de “reduções dramáticas” no orçamento de 2018, em relação a 2017, para instituições ligadas à ciência e tecnologia, como a redução de 20% nos recursos da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). “Estamos vivendo retrocesso gigantesco nos últimos tempos”, disse. Para Moreira, isso é “inexplicável se se pensa no futuro da nação”.

Reportagem – Lara Haje
Edição – Sandra Crespo

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Íntegra da proposta