Economia

Projeto regulamenta cesta básica de alimentos criada pela reforma tributária

A proposta está em análise na Câmara dos Deputados

09/04/2024 - 18:22  

Pablo Valadares / Câmara dos Deputados
Deputado Pedro Lupion fala ao microfone
O autor da proposta, deputado Pedro Lupion

O Projeto de Lei Complementar (PLP) 35/24 regulamenta a Cesta Básica Nacional de Alimentos (CeNA), que foi criada na reforma tributária (Emenda Constitucional 132). O texto, em análise na Câmara dos Deputados, relaciona os alimentos que terão isenção tributária.

Compõem a CeNA os alimentos destinados ao consumo humano ou utilizados na industrialização de produtos que se destinam ao consumo humano, independentemente da forma como são apresentados. A lista é a seguinte:

  • proteínas animais (carnes em geral), leite e laticínios, margarina, ovos de aves e mel natural
  • produtos hortícolas, frutas e hortaliças
  • café, chá, mate, especiarias e infusões
  • trigo e milho, farinhas de trigo, milho, rosca e mandioca; demais farinhas de outros vegetais
  • pães, biscoito, bolos e misturas próprias; massas alimentícias
  • molhos preparados e condimentos
  • açúcares, sal, óleos e gorduras
  • arroz, feijão e outras leguminosas
  • sucos naturais e água mineral
  • castanhas e nozes (oleaginosas)

Isenção de tributos
A reforma tributária prevê que os alimentos da cesta básica nacional serão isentos da Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS), do Imposto sobre Bens e Serviços (IBS) e do Imposto Seletivo, novos tributos que aguardam regulamentação.

O deputado Pedro Lupion (PP-PR), que assina o PLP 35/24 com outros parlamentares, afirma que o texto foi elaborado com base em decreto do atual governo que definiu os alimentos da cesta básica. “Mantém-se as atuais composições das cestas básica federal e dos estados na cesta básica nacional de alimentos, com pequenos e merecidos ajustes”, disse.

Outros pontos
A proposta prevê ainda que:

  • não será exigido o estorno dos créditos apropriados nas operações com os produtos da cesta básica; e
  • enquanto a CBS e o IBS não foram regulamentados, o governo poderá zerar as alíquotas de PIS/Pasep e Cofins dos produtos da cesta básica.

Próximos passos
O projeto será analisado nas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ). Depois seguirá para o Plenário da Câmara.

Reportagem – Janary Júnior
Edição – Natalia Doederlein

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Sua opinião sobre: PLP 35/2024

Íntegra da proposta