Fatos e Opiniões

Emendas do projeto da terceirização esquentam debates em plenário

A votação das emendas à polêmica proposta que regulamenta a terceirização do trabalho teve muitos debates.

A discussão começou pela emenda do PMDB e Solidariedade que prevê a terceirização em qualquer setor das empresas e também reduz o prazo mínimo para que empresa possa recontratar ex-funcionário como pessoa jurídica.

Alessandro Molon (PT-RJ) criticou vários pontos da emenda.

Para Darcísio Perondi (PMDB-RS), a emenda assegura direitos dos trabalhadores.

O líder do PDT, André Figueiredo (CE), disse que a emenda contribui para redução dos direitos trabalhistas.

O líder do Democratas, Mendonça Filho (PE), vê benefícios para o País na proposta.

O líder do governo, José Guimarães (PT-CE), considera a proposta parcial.

Arthur Oliveira Maia (SD-BA) rebateu a afirmação do líder do governo.

A emenda que reduz a quarentena para que empresa possa contratar ex-funcionário como pessoa jurídica foi aprovada. Mas a polêmica prosseguiu em torno de outra emenda: a que estende direitos previstos no projeto para os terceirizados do serviço público.

O líder do PSDB, Carlos Sampaio (SP), explicou o objetivo da emenda.

O líder do Pros, Domingos Neto (CE), considerou a aprovação da emenda um contrassenso.

Contra a aprovação da emenda, a líder do PCdoB, Jandira Feghali (RJ), criticou a condução das votações.

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, reagiu às críticas da líder do PCdoB.

O líder do PSol, Chico Alencar (RJ), considerou as modificações aprovadas um monstrengo.

O líder do PMDB, Leonardo Picciani (RJ), afirmou que as críticas não passam de conversa fiada.

A emenda foi aprovada. O projeto segue agora para o Senado.

Edição — Antonio Carlos Silva

Fatos e Opiniões

Um programa perfeito para saber em meia hora sobre o debates mais importantes feitos no Plenário da Câmara durante a semana. Este programa dispõe de legenda oculta, na versão exibida na TV Câmara

Estreia: Sexta, às 21h. Reprises: sábado, às 0h, 6h30, às 10h e às 18h30. Domingo, às 11h, às 16h e às 23h30. Segunda, às 1h30 e às 6h30.

Mais conteúdo sobre