Rádio Câmara

Reportagem Especial

Bicentenário da Independência - Capítulo 5

02/09/2022 - 08h00

  • Bicentenário da Independência - Capítulo 5

Capítulo 1

Pensar a independência só a partir do príncipe regente dom Pedro é um equívoco. A independência não foi obra exclusivamente dele, contou com apoios sociais importantes. Na verdade, traduziu um desejo que vinha de décadas. Foram muitos aqueles que tiveram participação decisiva e grande relevância no processo de separação.

 

Capítulo 2

Historiadores afirmam que muitas datas podem ser consideradas como marcos da independência e analisam a imagem simbólica do “Grito” de Independência retratada no quadro famoso “Independência ou Morte” do pintor Pedro Américo, finalizado em 1888.

 

Capítulo 3

O processo de separação do Brasil de Portugal não foi automático. Foi um rompimento longo, conflituoso, envolveu milhares de combatentes e teve muitas mortes em algumas províncias brasileiras. Foram as chamadas "guerras de independência".

 

Capítulo 4

Historiadores afirmam que nas comemorações dos cem anos e nos 150 anos (sesquicentenário) da independência houve a produção de artigos e a realização de eventos públicos, que geraram efervescência cultural e intelectual muito maior do que se prevê para as comemorações do bicentenário este ano.

 

Capítulo 5

Duzentos anos depois, o perfil populacional brasileiro é muito diferente. Os brasileiros vivem três vezes mais do que na época da independência. Mas o país ainda é marcado pela desigualdade social e muitos negros e indígenas ainda permanecem sem acesso a direitos básicos como a educação.

Entrevistas neste capítulo: José Eustáquio Diniz Alves, especialista em estudos populacionais; Rafael Nogueira, secretário nacional de Economia Criativa e Diversidade Cultural do governo federal; e o deputado Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PL-SP).

Produção: João Paulo Florêncio

Trabalhos Técnicos: Delci Santos

Reportagem: Eduardo Tramarim

Edição: Claudio Ferreira

A abordagem em profundidade de temas relacionados ao dia a dia da sociedade e do Congresso Nacional.

De segunda a sexta, às 3h, 6h30 e 23h