Rádio Câmara

Reportagem Especial

A hora do café: benefícios para a saúde (05'30'')

  • A hora do café: benefícios para a saúde (05'30'')

O café é muito mais do que a cafeína que combate o sono e dá mais disposição. O grão tem vitaminas, sais minerais e compostos que podem prevenir o diabetes e a depressão.

Estudos apontam os benefícios do café para a longevidade, como destaca a gerente da Embrapa Café, Mirian Eira.

"O café tem muito mais do que a cafeína, que era o elemento mais conhecido do café. Esses outros elementos, principalmente um grupo que nós chamamos de ácidos clorogênicos, eles podem trazer uma série de benefícios para a saúde, principalmente porque eles retardam o envelhecimento celular."

Se durante algum tempo ele foi visto como o vilão que causa dependência e prejuízos ao estômago, hoje pesquisas no mundo inteiro se reconciliam com a bebida mais consumida no mundo depois da água.

O café tem sido recomendado inclusive para crianças, para espantar a preguiça depois de acordar e como alternativa a achocolatados mais calóricos.

"Quando as pessoas moravam no interior, todo mundo tomava café, inclusive as crianças. É muito bom pra atenção porque você vai pra escola cedo de manhã e você fica mais alerta, então tem maior facilidade de aprendizado."

A bioquímica Vanessa Araújo nasceu em meio aos cafezais da cidade mineira de Três Pontas. Conhecendo a composição do café, ela criou uma linha de cosméticos que a levou a ser finalista de um prêmio da ONU para mulheres empreendedoras. A bebida que floresceu na Arábia agora é usada em favor da beleza.

"Falam que a longevidade do Oriente está ligada ao uso do chá verde. O café, por exemplo, é três vezes mais antioxidante do que o chá verde. O que essas substâncias antioxidantes fazem? Elas protegem a pele da ação maléfica dos radicais livres que causam o envelhecimento do nosso organismo como um todo."

A queima de gordura também se beneficia das sunstâncias do café, o que amplia ainda mais o uso na cosmética. Estudos também associam o consumo de café à proteção contra doenças do coração e para prevenir o diabetes tipo 2, como destaca Teresa Helena Macedo da Costa, que é professora de nutrição da Universidade de Brasilia.

"Ele não vai curar o diabetes, o diabetes instalado, ele não é um remédio. Ele é um fator protetor. Então, se o indivíduo tem costume de tomar o seu cafezinho, duas, três, quatro xícaras por dia, esse hábito vai, ao longo do tempo, favorecer que ele tenha menor risco de desenvolver."

É bem verdade que cada pessoa tem uma sensibilidade diferente para o café. Isso é algo a ser considerado para o consumo. A bebida é contraindicada para quem tem gastrite ou insônia, e muitos se queixam de terem dificuldade para dormir se tomam café à tarde ou à noite.

Mas os efeitos prejudiciais ao sono devem ser percebidos no organismo de cada um. Para usufruir da prevenção de doenças, a professora Teresa Helena destaca que o consumo deve ser constante e de, pelo menos, quatro xícaras por dia.

"Tomar uma ou duas xicrinhas, o que tem se mostrado é que não é tão eficaz. Ainda não se tem estabelecida qual a quantidade ideal, mas quem consome de quatro a mais xícaras tem essa proteção, principalmente, que a gente conhece mais, para o diabetes tipo 2. No entanto, consumir um litro de café, uma garrafa inteira não é aconselhável porque você deixa de consumir outras fontes que o café não vai te fornecer."

Estudos sobre a atuação do café na saúde têm acontecido em universidades como USP e UFRJ. Os dados desfazem o mito de que café prejudica o coração.

Mas é preciso prestar atenção na torra do café. Quando o grão é torrado em excesso, ele perde parte de suas substâncias benéficas. Na prática, o pó, que é marrom mais claro, indica que a torra não foi excessiva.

O consumo diário de doses moderadas pode ser benéfico na prevenção da depressão, que é um dos fatores de risco para problemas cardíacos. O organizador do Campinas Café Festival, Ali El-Khatib, expressa essa atuação do café de uma maneira muito particular.

"Tomo cinco por dia, me deixa em um estado muito bom, sempre puro, forte, quentinho, sem adoçante e, muito menos, açúcar. É muito mais saboroso, faz bem para o coração, e ainda não tem estudos, mas faz bem para a alma."

De Brasília, Daniele Lessa

A abordagem em profundidade de temas relacionados ao dia a dia da sociedade e do Congresso Nacional.

De segunda a sexta, às 3h, 7h40 - dentro do programa Painel Eletrônico - e 23h

facebook twitter spotify podcasts apple rss

Todas as Edições