Segurança

Comissão debate formas de aumentar segurança do Pix e evitar que seja usado por sequestradores

Vítimas ficam por horas em cativeiros e são obrigadas a fazer diversas transferências pelo Pix, diz deputado

18/08/2021 - 08:36  

Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Economia - Dinheiro - Bancos - Pix - Pix é o pagamento instantâneo brasileiro. O meio de pagamento criado pelo Banco Central (BC) em que os recursos são transferidos entre contas em poucos segundos, a qualquer hora ou dia
Pix permite transferências rápidas pelo celular

A Comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados debate nesta quarta-feira (18) o sequestro de vítimas pelo crime organizado, com a exigência da transferência de dinheiro por meio do Pix. A audiência pública atende a requerimento do deputado Delegado Antônio Furtado (PSL-RJ).

"Hoje, em vez de serem levadas a caixas eletrônicos, as vítimas ficam por horas em cativeiros onde são obrigadas a fazer diversas transações financeiras por meio dos aplicativos de bancos dos próprios celulares, como transferências pelo Pix, compras e até empréstimos” explica.

Na opinião do parlamentar, embora as polícias ainda não tenham estatísticas sobre aumento no número de sequestros relâmpago, há mais relatos de casos dessa natureza, que eram frequentes na década de 90.

Foram convidados:
- o chefe do Grupo Permanente de Análise da Divisão de Repressão a Crimes Cibernéticos, Erik Pereira de Siqueira;
- o chefe-adjunto do Departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro do Banco Central do Brasil, Carlos Eduardo Brandt; e
- o presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Brasil, Rodolfo Laterza.

O debate será realizado às 16 horas, no plenário 6.

Da Redação – RL

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.