Educação, cultura e esportes

Projeto susta editais do Enem que preveem provas em novembro

As provas presenciais do Enem estão marcadas para 1º e 8 de novembro. Já o Enem digital está previsto para 22 e 29 de novembro

28/04/2020 - 12:59  

Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Audiência Pública - Tema: "Clube de descontos dos servidores públicos". Dep. Professor Israel Batista (PV-DF)
Israel Batista: suspensão das aulas presenciais tem impacto negativo no aprendizado dos estudantes

O Projeto de Decreto Legislativo 167/20 susta os editais de convocação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) Impresso e do Enem Digital, publicados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) - órgão vinculado ao Ministério da Educação.

As provas presenciais do Enem estão marcadas para 1º e 8 de novembro. Já o Enem digital está previsto para 22 e 29 de novembro.

O projeto, em análise na Câmara dos Deputados, foi apresentado pelo deputado Professor Israel Batista (PV-DF). Segundo ele, a suspensão das aulas presenciais em virtude da pandemia de coronavírus tem impacto negativo no aprendizado dos estudantes. Por isso, ele considera que “seria razoável pensar que o MEC adiaria a aplicação do Enem 2020”.

O deputado critica declarações do ministro da Educação, Abraham Weintraub, em sua conta na rede social Twitter, sobre a manutenção do calendário do Enem. No dia 14 de abril, por exemplo,Weintraub publicou: “A vida não pode parar! E é por isso que vai ter #Enem2020. Estude pelos livros ou pela internet, converse com seus professores e foque no seu projeto de vida, no seu futuro”. Para o deputado, o ministro não promove a “igualdade de oportunidades” e não considera “a enorme desigualdade social e educacional brasileira”.

“Pesquisa divulgada em 2019 aponta que 58% dos domicílios no Brasil não têm 25acesso acomputadores e 33% não dispõem de internet”, destaca o parlamentar.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de decreto legislativo.

Reportagem - Lara Haje
Edição – Rachel Librelon

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Íntegra da proposta