Saúde

Opas diz que é preciso ampliar com urgência a cobertura vacinal no Mercosul

O Ministério da Saúde está realizando campanhas de vacinação contra a doença, que já acometeu 5.660 pessoas no Brasil

27/11/2019 - 20:02  

A Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados realizou seminário nesta quarta-feira (27) para discutir estratégias de imunização para a região do Mercosul. A representante da Organização Pan Americana de Saúde (Opas) no debate, Maria Tereza da Costa Oliveira, destacou que, por meio de um fundo comum, os países da região estão conseguindo garantir a compra de vacinas para um bom número de doenças.

“A região acumulou muitos êxitos. No entanto, existem barreiras que nós precisamos transpor com a maior urgência possível para a vacina chegar a todos os lugares”, afirmou.

Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF)
Seminário discutiu a "Importância da vacinação entre Brasil e países vizinhos"

Sarampo
A representante do Ministério da Saúde, Franciele Fontana, disse que, apesar dos esforços do Programa Nacional de Imunização, os índices de cobertura vêm diminuindo ano a ano, e doenças que já tinham sido erradicadas, como o sarampo, voltaram a atingir a população. Em 2018, o Brasil registrou 10.274 casos confirmados da doença.

Para Franciele, a sensação de desaparecimento de algumas doenças levou à falsa conclusão de que elas não voltariam a acometer a população.

O Ministério da Saúde está realizando campanhas de vacinação contra o sarampo por meio da vacina tríplice viral, que atualmente está disponível para jovens de 20 a 29 anos, que representam mais de 9 milhões de pessoas que não foram vacinadas ou não tomaram todas as doses.

O surto de sarampo continua neste ano. Já foram confirmados 5.660 casos, e em 19 estados há transmissão ativa --  que ocorre quando o vetor é infectado e então infecta outra espécie de organismo.

Baixa cobertura 
O parlamentar paraguaio Manoel Moringo defendeu que, para reduzir as desigualdades regionais, é preciso ajudar os países com menor grau de desenvolvimento. Ele lamentou que em seu país os índices de cobertura vacinal sejam ainda muito baixos, o que coloca em risco a saúde das pessoas com menos de 15 anos, que correspondem a 37% da população.

O presidente da Comissão de Saúde do Parlamento do Mercosul (Parlasul), deputado Carlos Gomes (Republicanos-RS), disse que é preciso um esforço coletivo para garantir a erradicação de doenças preveníveis com vacinas.

“O tráfego de pessoas é muito grande, é livre no Uruguai, Argentina, Paraguai e, daqui a pouco, se um trabalho não for bem feito em um país pode prejudicar todo um trabalho sendo realizado ali do outro lado da fronteira, e para a a doença não existe fronteira”, afirmou ele.

Reportagem - Karla Alessandra
Edição - Wilson Silveira

  • Áudio da matéria

    Ouça esta matéria na Rádio Câmara

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.