Ciência, tecnologia e Comunicações

Projeto equipara plataformas que distribuem conteúdo pela internet às TVs pagas

27/09/2019 - 16:43  

O Projeto de Lei 4292/19 equipara plataformas que distribuem conteúdo audiovisual na forma de canais ou pacotes pela internet às TVs pagas. O texto está sendo analisado pela Câmara dos Deputados.

As TVs pagas são submetidas às regras previstas na chamada Lei do  Serviço de Acesso Condicionado (SeAC - Lei 12.485/11). A ideia do autor da proposta, deputado Paulo Teixeira (PT-SP), é que prestadoras do mesmo serviço independentemente da tecnologia obedeçam às mesmas regras.

 

Vinicius Loures/Câmara dos Deputados
Paulo Teixeira citou caso de replicação do conteúdo

“Recentemente, ocorreu fato notório em que determinado canal de programação passou a realizar distribuição direta de seu conteúdo por meio da internet, como se não fora SeAC, sem atender às regras da Lei 12.485/11”, citou.

“No caso, tratava-se da perfeita replicação do conteúdo programado e distribuído por empresa de SeAC. A nosso ver, o fato de o conteúdo ter sido distribuído por meio da internet não o descaracteriza como SeAC”, completou parlamentar.

Caso da Fox
Recentemente, uma polêmica em torno do tema ocorreu quando a Fox passou a oferecer conteúdos lineares pela internet diretamente ao assinante por meio dos serviços FOX+ e FOX Premium.

A Claro questionou junto à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) a oferta do serviço, dando origem a uma cautelar da agência suspendendo a oferta. Esta decisão da Anatel levou a Fox à Justiça, conseguindo uma liminar para derrubar a cautelar. Em novembro deste ano, Fox anunciou o fim dos serviços.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

* Essa matéria foi corrigida

Reportagem – Lara Haje
Edição - Natalia Doederlein

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Íntegra da proposta