Política e Administração Pública

Deputados vão levar ao governo insatisfação com diretor-geral da ANP

Décio Oddone foi ouvido pela CPI do BNDES. Ele ocupou cargos em empresas acusadas de irregularidades

21/08/2019 - 21:11  

A CPI do BNDES ouviu nesta quarta-feira (21) o diretor-geral da Agência Nacional de Petróleo (ANP), Décio Oddone. Ele trabalhou na Petrobras e depois na Braskem, empresa controlada pela empreiteira Odebrecht, no período em que surgiram as denúncias de corrupção na estatal.

Vários colegas de trabalho de Oddone foram presos, mas ele não foi nem denunciado. Em 2016, foi indicado pelo governo do ex-presidente Michel Temer para a direção da ANP e no governo do presidente Jair Bolsonaro permanece no comando da agência. Na CPI, ele negou que tenha cometido qualquer crime.

Vinicius Loures/Câmara dos Deputados
Deputado Altineu Cortes, relator, promete relatório com "dados incontestáveis"

“Não estou mentindo. Jurei aqui dizer a verdade e estou dizendo a verdade. A minha nomeação para a diretoria da Braskem foi feita pela diretoria da Petrobras, num fórum da diretoria da empresa foi aprovado o meu nome. Eu não sinto constrangimento, eu sinto orgulho de poder usar a minha experiência para ajudar o meu País e é por isso que eu aceitei o convite para ser diretor-geral da ANP”.

Parlamentares da base do governo disseram que vão levar até o presidente Bolsonaro a informação de que Oddone ocupou cargos públicos e privados em  instituições envolvidas em denúncias de corrupção. O deputado Coronel Chrisóstomo (PSL-RO) fez duras críticas ao executivo.

 

 

“Tantas perguntas que já foram feitas ao senhor e o senhor nada sabe, nada viu, sequer passou longe do acontecimento! Com esse seu passado, o senhor não merece estar na ANP!”, lamentou.

O deputado Paulo Ramos (PDT-RJ), mesmo sendo da oposição, concordou. “Estamos diante de uma contradição: como o presidente Jair Bolsonaro preserva à frente da agência reguladora um diretor que vai contra às velhas práticas?”, indagou.

Frigorífico Bertin
A CPI ouviu ainda André Gustavo Salcedo, ex-chefe de investimento do BNDES-participações. Os deputados queriam ouvir explicações sobre a compra do Frigorífico Bertin pela JBS. Os deputados acreditam que a negociação foi superfaturada em bilhões de reais, mas André Gustavo afirmou que não tem informações sobre essa transação.

O relator da CPI, deputado Altineu Côrtes (PL-RJ), disse que as investigações estão chegando ao fim e que vai apresentar um relatório técnico, com "dados incontestáveis".

 

Reportagem - Marcelo Westphalem
Edição - Geórgia Moraes

  • Áudio da matéria

    Ouça esta matéria na Rádio Câmara

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.