Trabalho, previdência e assistência

Comissão aprova ginástica laboral e atendimento psicológico para operadores de telemarketing

30/11/2018 - 16:54   •   Atualizado em 30/11/2018 - 19:51

A Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 8100/17, do deputado Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB), que obriga empresas de teleatendimento ou telemarketing a oferecerem serviços de ginástica laboral e atendimento psicológico a seus empregados.

Alex Ferreira/Câmara dos Deputados
Audiência pública sobre as exigência de pavimentação definitiva nos empreendimentos do programa minha casa minha vida. Dep. Odorico Monteiro (PSB - CE)
Odorico Monteiro: proposta pretende reduzir ocorrência de doenças ligadas ao trabalho

O relator, deputado Odorico Monteiro (PSB-CE), recomendou a aprovação. “Algumas das grandes empresas do setor já possuem serviços semelhantes, e a aprovação da proposta expandiria as medidas protetivas à maior parte dos operadores e operadoras de telemarketing”, disse.

Segundo o autor da proposta, a ginástica laboral é reconhecida como estratégia de prevenção e tratamento de doenças ortopédicas relacionadas ao trabalho, e o ofício de operadora ou operador de telemarketing é estressante por sua natureza.

“O projeto de lei pretende atuar nesses dois problemas, propondo que o empregador atue na prevenção, evitando o surgimento de danos mais sérios, e consequentemente reduzindo o absenteísmo e o sofrimento”, afirmou Veneziano Vital do Rêgo.

O texto estabelece que as empresas com 50 funcionários ou mais deverão manter, durante todo o horário de funcionamento, profissionais disponíveis para realização e tutoria de ginástica laboral. Já o atendimento psicológico poderá ser próprio ou referenciado, sem custo para os empregados.

Tramitação
A proposta tramita em caráter conclusivo e ainda será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Reportagem – Ralph Machado
Edição – Marcelo Oliveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Sua opinião sobre PL 8100/2017

Íntegra da proposta