Economia

Finanças aprova desoneração para quem fabricar pneu com borracha natural

20/06/2016 - 15:17  

A Comissão de Finanças e Tributação aprovou no último dia 15 proposta que desonera das contribuições de PIS/Pasep e da Cofins os fabricantes de pneus da Zona Franca de Manaus que utilizam borracha natural obtida por extrativismo não madeireiro (PL 4179/12).

Gustavo Lima / Câmara dos Deputados
Deputado João Gualberto
Gualberto: proposta beneficia atividades de extrativismo não madeireiro na região Norte e aumenta os níveis de empregabilidade e renda das populações seringueiras

Para compensar a renúncia fiscal, a proposta altera as alíquotas da contribuição para o PIS/Pasep e a Cofins incidentes sobre o setor de fabricação de pneus e câmaras de ar, que passariam, respectivamente, de 2% para 2,09% e de 9,5% para 9,94% .

O texto aprovado é um substitutivo do relator, deputado João Gualberto (PSDB-BA), ao Projeto de Lei 4179/12, do deputado Pauderney Avelino (DEM-AM). O objetivo da proposta é incentivar a produção de borracha natural, de forma ecologicamente correta e socialmente justa, a partir das seringueiras na Amazônia. Originalmente, o projeto não estimava a perda de arrecadação, que seria de R$ 36 milhões em 2016, segundo cálculos da Secretaria da Receita Federal.

“A iniciativa contribui positivamente para a promoção das atividades de extrativismo não madeireiro na região Norte e para o aumento da empregabilidade e da renda das populações seringueiras”, avaliou João Gualberto.

A proposta altera a Lei 10.485/02, que trata da incidência do PIS/Pasep e da Cofins.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado ainda pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. O texto também já havia sido aprovado pela Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia.

Reportagem – Noéli Nobre
Edição – Natalia Doederlein

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Sua opinião sobre: PL 4179/2012

Íntegra da proposta