Saúde

Seguridade Social debate situação dos hemoderivados nos hospitais brasileiros

01/07/2014 - 10:37  

A Comissão de Seguridade Social e Família discute hoje o fornecimento de hemocomponentes e hemoderivados nas clínicas e hospitais brasileiros. Os hemoderivados são medicamentos derivados do sangue, mais especificamente do plasma contido no sangue, e servem para o tratamento de doenças graves como: hemofilia, Doença de von Willebrand e coagulopatias graves, por exemplo.

A transfusão de sangue e de hemocomponentes é uma tecnologia importante na terapêutica moderna, pode salvar vidas ou melhorar a saúde de pacientes.

De acordo com o deputado Marcos Rogério (PDT-RO), que propôs o debate junto com os deputados Dr. Jorge Silva (Pros-ES), Amauri Teixeira (PT-BA) e Rogério Carvalho (PT-SE) “a Câmara dos Deputados deve discutir com profundidade a questão dos valores cobrados pelas bolsas de sangue e os parâmetros estabelecidos para a necessidade de transfusão de sangue”.

Foram convidados:
- a coordenadora geral de sangue e hemoderivados do Ministério da Saúde, Maria de Fátima Pombo Montoril;
- o gerente de planejamento e projetos da Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia (Hemobras), José Gaspar Nayme Novelli;
- o presidente da Fundação Hemeron - Banco de Sangue, Orlando José de Souza Ramires;
- a médica cardiologista do Instituto do Coração de São Paulo, Ludhmila Hajjar; e
- a vereadora de Ji-Paraná/RO, Sílvia Cristina Amancio Chagas.

O debate será realizado às 14h30, no plenário 7.

Da Redação - RL

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.