Segurança

Seguridade aprova exigência de ambulância em local com aglomeração de pessoas

28/04/2014 - 20:34  

TV Câmara
Dep Eleuses Paiva (PSD-SP)
Eleuses Paiva: pronto atendimento vai ajudar a salvar muitas vidas.

A Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados aprovou na última quarta-feira (23) projeto que exige ambulância de regaste em lugares com grande aglomeração de pessoas. A proposta (PL 5088/13), do deputado Onofre Santo Agostini (PSD-SC), torna obrigatório o veículo em aeroportos, estádios, rodoviárias e locais onde ocorram grandes eventos.

Pelo texto, cada ambulância deverá contar com um motorista e com um profissional da área de saúde, para socorro imediato das vítimas.

O relator da proposta, deputado Eleuses Paiva (PSD-SP), acredita que a presença de ambulâncias nos locais de aglomeração de pessoas vai ajudar a salvar muitas vidas. "A lógica do projeto é, primeiro, ter um veículo para transportar, mas, principalmente, ter uma equipe. Até fazer esse transporte, que faça a estabilização desse paciente", disse.

Eleuses Paiva lembra que, no caso de problemas cardiovasculares, o cidadão precisa ser atendido em até meia-hora para que suas chances de recuperação se aproximem de 98%.

Atendimento
O comandante do Corpo de Socorristas do Brasil, Moisés Gomes da Silva, defende a medida. "O atendimento pré-hospitalar deve existir em virtude do aumento da chance de sobrevida do paciente. Quando você tem uma assistência imediata ao caso clínico ou traumático, ainda no local, a sobrevida desse paciente é aumentada em até 80%. Então, é importante que isso seja colocado em prática o mais rápido possível."

Gomes da Silva lembra que, no caso dos estádios de futebol, é necessário também melhorar o acesso para resgaste ao cidadão. "Temos que ter acesso ao paciente em qualquer local, em menos de cinco minutos, senão a condição do paciente se agrava."

Tramitação
O projeto tem caráter conclusivo e será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Da Redação – PT
Colaboração – Lidyane Barros

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Íntegra da proposta