Saúde

Academia de ginástica poderá ser obrigada a ter desfibrilador

21/02/2014 - 09:27  

Luís Macedo
Leonardo Gadelha
Gadelha: atendimento rápido aumenta a chance de sobrevivência da vítima de infarto.

A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 6649/13, do deputado Leonardo Gadelha (PSC-PB), que obriga as academias de ginástica a ter posto médico com materiais de ressuscitação, como desfibrilador, em caso de parada cardiorrespiratória, além de profissional habilitado para uso do equipamento. A regra também vale para outros estabelecimentos destinados à prática de exercício físico.

A realização imediata de ressuscitação cardiopulmonar em uma vítima de infarto contribui para aumentar a taxa de sobrevivência, segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, citada pelo deputado. “Se as ações de suporte básico não forem realizadas de maneira adequada, será extremamente baixa a possibilidade de sobrevivência da vítima”, afirmou Gadelha.

Pela proposta, os locais terão seis meses para se adaptar à regra, caso contrário terão registro e licença suspensos até cumprirem a obrigação. A fiscalização dos estabelecimentos fica a cargo do órgão de vigilância sanitária dos municípios, estados e União.

Tramitação
A proposta tramita em caráter conclusivo e será analisada pelas comissões de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio; de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Reportagem – Tiago Miranda
Edição – Daniella Cronemberger

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Sua opinião sobre: PL 6649/2013

Íntegra da proposta