Consumidor

Anac diz não ter dados para embasar denúncias de “explosão” de preços na Copa

18/12/2013 - 18:55  

O presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Marcelo Guaranys, disse que a entidade não tem dados para embasar as denúncias de escalada de preços das passagens aéreas para a Copa do Mundo de 2014. Ele participou de audiência pública sobre o tema na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle nesta quarta-feira (18) e afirmou que ainda é cedo para discutir os valores adotados durante o torneio.

Guaranys explicou que a Anac tem acesso aos preços cobrados de todas as passagens, mas apenas depois de finalizados os voos. Especialmente para a Copa, entretanto, a agência montou um observatório para verificar, com antecedência, os preços cobrados para os voos de junho e julho de 2014, período do campeonato.

Para o presidente da Anac, no entanto, os dados que o órgão já processou, sobre as vendas feitas há um mês e meio, ainda não são suficientes para falar sobre os preços cobrados. As informações mais atualizadas, a respeito das vendas feitas em dezembro, só serão divulgados em janeiro.

Recomendação
Os dados disponíveis apontam que foram vendidos entre 5% e 20% dos assentos para jogos da Copa até o dia 6 de dezembro, quando foi feito o sorteio das chaves - número muito pequeno para apontar qualquer tendência, segundo Guaranys. "As pessoas só souberam para onde valia a pena voar depois do sorteio dos grupos e ainda nem sabem se conseguirão ou não os ingressos", avaliou.

Ele recomendou aos torcedores que busquem comprar as passagens com antecedência e priorizem bilhetes com ida e volta em dias espaçados para garantir o menor preço.

Reportagem – Carol Siqueira
Edição – Marcelo Oliveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.