Economia

Hotéis terão de explicar na Câmara altos preços das diárias no Rio

Câmara não pagará hospedagem para deputados durante a Rio+20 se preços não forem reduzidos.

09/05/2012 - 20:02  

Gustavo Lima
Flávio Dino (presidente do Instituto Brasileiro de Turismo-Embratur)
Flávio Dino: setor não deve aproveitar aumento da demanda para praticar preços abusivos.

O setor hoteleiro terá de explicar, na Câmara, os valores considerados abusivos das diárias no Rio de Janeiro. Um requerimento do presidente da Comissão de Turismo e Desporto, deputado José Rocha (PR-BA), para realização de audiência pública sobre esse assunto, em data a ser definida, foi aprovado nesta quarta-feira pelos integrantes do colegiado. Entre outros, serão convidados representantes da Embratur; da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis; e do Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil.

O presidente da Câmara, Marco Maia, afirmou que a Casa não pagará as diárias dos deputados em hotéis durante a Conferência Rio+20, sobre desenvolvimento sustentável, que será sediada no Rio de Janeiro em junho. Segundo ele, os hotéis apresentaram "preços abusivos".

"Fiquei sabendo que o preço que estava sendo cobrado da diária do hotel que estava sendo oferecido à Câmara dos Deputados é de algo em torno de R$ 1,6 mil a diária. E eu já determinei que a Câmara não irá pagar essa diária para garantir a participação dos deputados na Rio+20 nessas condições", afirmou.

Grandes eventos
Durante debate sobre os planos da Embratur para 2012, o deputado Valadares Filho (PSB-SE) levantou o problema do custos de hospedagem no Brasil, principalmente em períodos de grandes eventos de interesse internacional. Ele informou que integrantes do Parlamento Europeu estão cancelando sua vinda à Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), que será realizada em junho na capital fluminense, em razão do custo da viagem.

O presidente da Embratur, Flávio Dino, informou que o governo fez sua parte ao abrir linhas de financiamento pelo BNDES e promover a desoneração tributária para hotéis no Plano Brasil Maior. O dirigente fez um apelo aos empresários do setor para que não aproveitem o momento de superaquecimento da demanda para praticar preços abusivos. “Isso interfere na imagem do País, que terá uma sequencia de grandes eventos. Se houver uma má compreensão em busca de margens de lucro muito elevadas, estaremos, na verdade, matando a galinha dos ovos de ouro e comprometendo a sustentabilidade do crescimento do turismo no Brasil", declarou.

Por sua vez, o deputado Otavio Leite (PSDB-RJ) defendeu que mais hotéis sejam construídos no Rio de Janeiro. "Não vejo o governo procurar grandes redes internacionais que ainda não estão no Brasil", criticou.

Orçamento
Na reunião desta quarta-feira, Dino também destacou a necessidade de mais verbas publicitárias para divulgar o Brasil no exterior. Ele informou que, atualmente, a Embratur conta com R$ 26 milhões para essa atividade. "Há estados que dispõem de mais recursos do que nós", lamentou. Em 2011, segundo o dirigente, o setor de turismo rendeu ao País R$ 6,8 bilhões.

Dino pediu o empenho dos parlamentares para que o orçamento da autarquia, hoje avaliado em R$ 200 milhões, tenha um aumento de pelo menos 50% no próximo ano. José Rocha acha possível destinar uma emenda de comissão para a Embratur no Orçamento da União de 2013.

* Matéria atualizada em 15/05

Reportagem - Geórgia Moraes/Rádio Câmara
Edição - Marcelo Oliveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.