Economia

Deputados defendem alternativas de apoio às exportações

20/01/2011 - 17:45  

Como o País vive hoje um momento de preocupação com o desenvolvimento industrial, devido à valorização do real provocada pela política de câmbio flutuante, a única solução, na avaliação do deputado Dr. Ubiali (PSB-SP), é buscar alternativas de apoio às exportações, mantido o respeito às normas da Organização Mundial do Comércio (OMC).

E a melhor alternativa, acrescenta o deputado, é justamente propiciar ao BNDESO Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social é uma empresa pública federal vinculada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. O banco financia principalmente grandes empreendimentos industriais e de infra-estrutura, mas também investe nas áreas de agricultura, comércio, serviço, micro, pequenas e médias empresas, educação e saúde, agricultura familiar, saneamento básico e ambiental e transporte coletivo de massa.  capital para financiar a exportação a juros internacionais, que hoje estão próximos de zero, libertando os exportadores brasileiros da dependência das cartas de crédito de bancos de outros países.

"O espaço da indústria na exportação precisa ser reforçado; não podemos viver só das commoditiesTipo particular de mercadoria em estado bruto ou produto primário de importância comercial, como o café, algodão e cobre, carne e minérios, entre outros. ; os manufaturados são essenciais para gerar empregos e dar ao trabalhador brasileiro a condição de cidadania plena", diz Dr. Ubiali.

Esforço exportador
Já o deputado Arnaldo Jardim (PPS-SP) ressalta que a pauta de exportação vem perdendo consistência, levando o País a depender cada vez mais das commodities, comprometendo a perspectiva de desenvolvimento industrial.

O avanço "descabido" das importações em 2010, diz o deputado, mostra a gravidade da situação. "Estamos importando bens de consumo imediato, não duráveis, o que significa exportar empregos e desarmar setores importantes da nossa indústria", adverte Jardim.

Ele reclama que o governo "tem beirado a irresponsabilidade com o descuido da questão cambial", e diz que o Brasil precisa avançar na adoção de medidas de apoio ao esforço exportador, "como é esta da criação da empresa de fomento vinculada ao BNDES".

Jardim lembrou ter questionado o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles sobre a questão cambial, na última vez que ele compareceu ao Congresso Nacional. "Meirelles afirmou haver um arsenal suficiente de medidas, mas os fatos o desmentiram muito rapidamente", disse.

Para Jardim, a série de normas disciplinadas pelo BC para diminuir a exposição cambial das instituições financeiras constitui uma evidência de que o problema é grave e exige solução urgente, "porque está comprometendo o nosso superavit comercial e desqualificando as nossas exportações".

Reportagem - Luiz Claudio Pinheiro
Edição - Newton Araújo

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.