Política e Administração Pública

Especialistas: mobilidade depende da gestão do transporte público

02/09/2009 - 15:43  

Especialistas disseram nesta quarta-feira (2) na Câmara que a melhoria da mobilidade nas cidades brasileiras passa pela concepção do centro urbano, por uma boa gestão do sistema de transporte público e também pelo envolvimento de toda sociedade, até mesmo das pessoas que não abrem mão do carro particular. As soluções foram apontadas durante os debates da 10ª Conferência das Cidades, promovida pela Comissão de Desenvolvimento Urbano, que este ano tem como tema a mobilidade urbana.

No encontro, o arquiteto Jaime Lerner mostrou-se otimista e disse que qualquer cidade pode melhorar sua qualidade de vida em quatro anos, o período de um mandato, se houver vontade política e estratégia. "Há soluções que podem acontecer agora e soluções que vão levar 30 anos. Uma não prejudica a outra, mas é preciso começar. É melhor ter um sistema de transporte de superfície já do que ficar esperando 30 anos por uma linha de metrô. Também é preciso parar de fazer obras para automóvel", declarou.

Ex-governador do Paraná e ex-prefeito de Curitiba, Lerner deu o exemplo da capital paranaense, onde o sistema integrado de transporte é considerado um modelo nacional. Em Curitiba, os ônibus trafegam por pistas exclusivas e os passageiros esperam pelo veículo em tubos de embarque rápido. "O tempo de espera varia de 30 segundos a 1 minuto. A rapidez é fundamental. Começamos com 25 mil passageiros por dia em 1974. Hoje transportamos 2 milhões", disse.

Desenho da cidade
O arquiteto reconheceu que as cidades mudaram muito rápido nos últimos 30 anos e disse que, nesse processo, não se deve separar a atividade econômica das pessoas. Os trabalhadores, afirmou, devem morar perto de seus serviços e que, portanto, o transporte de massa deve percorrer o desenho principal da cidade, onde se localizam moradias e locais de trabalho.

O professor Rômulo Orrico Filho, do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Gradução e Pesquisa de Engenharia da UFRJ, concordou com Lerner ao dizer que as atividades de uma cidade devem concentrar-se próximo ao eixo de transportes.

Ele criticou, por outro lado, as políticas voltadas para o transporte público no Brasil. "As cidades ficaram mais descentralizadas, mas não necessariamente as pessoas moram perto do trabalho. O que ocorre é que os planejamentos de transporte continuam seguindo os paradigmas dos anos 70 e 80, quando hoje, para ir de um lugar a outro, a população precisa contornar enormes bairros murados nas grandes cidades."

Pacto pela mobilidade
O professor da UFRJ sugeriu ainda o envolvimento de toda a sociedade no que chamou de "pacto pela mobilidade". Segundo Orrico, não é justo que apenas os usuários paguem pelo transporte público. Além disso, é preciso ativar a economia geral da área servida por um sistema de metrô, por exemplo, o que pode ser feito a partir da exploração do comércio em uma estação, gerando ganhos imobiliários.

Mais do que isso, as pessoas que utilizam transporte individual devem contribuir para a melhoria do transporte público, uma vez que elas também serão beneficiadas com a redução do tráfego nas grandes cidades. "A lógica é sair de quem paga e ir para uma cobrança que respeite a capacidade de pagamento de cada um", explicou.

Legislação
Os resultados da conferência serão analisados pela Comissão de Desenvolvimento Urbano e incorporados à atividade legislativa. O presidente do colegiado, deputado Eduardo Sciarra (DEM-PR), disse que ainda faltam ao País as diretrizes básicas para a mobilidade urbana. "Temos que priorizar sempre o coletivo em vez do individual e essas questões devem ser respaldadas pela legislação."

Os debates desta manhã foram mediados pelo diretor-presidente do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Alfredo Peres da Silva. A conferência prossegue à tarde, no auditório Nereu Ramos, e será encerrada com a entrega dos prêmios do concurso "Selo Cidade Cidadã".

Continua:
Prefeitos se juntam no Recife para gerenciar transporte metropolitano

Confira a programação

Notícias relacionadas:
Ministro anuncia programa de aceleração da mobilidade urbana
Deputados criticam déficit de mobilidade nos centros urbanos
Conferência aponta ordenamento territorial urbano como prioridade
Sustentabilidade urbana depende da área rural, diz professor
Conferência destaca falha na aplicação da reforma urbana
Cidades encolhem, periferias aumentam, diz conferencista
Conferência defende cumprimento do Estatuto da Cidade
Cartilha ensina prefeitura a tornar cidade mais acessível
Especialistas defendem projeto de regularização urbana

Reportagem - Noéli Nobre Edição - Regina Céli Assumpção

(Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura `Agência Câmara`)

Agência Câmara
Tel. (61) 3216.1851/3216.1852
Fax. (61) 3216.1856
E-mail:agencia@camara.gov.br

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.