Ciência, tecnologia e Comunicações

Debatedores ressaltam importância de escolas profissionais

19/05/2009 - 18:46  

O secretário de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, Eliezer Moreira Pacheco, disse nesta terça-feira que o governo já liberou R$ 1 bilhão para as escolas profissionais dos estados. Com os recursos, segundo ele, os estados poderão equipar suas escolas e deixá-las no mesmo nível das instituições federais.

Moreira participou de audiência pública, promovida pela Comissão de Educação e Cultura, para esclarecer o funcionamento do novo modelo da educação profissional brasileira, estabelecido pela Lei 11.982/08. Ele observou que os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia — criados no contexto desse modelo — "são altamente inovadores e vão dar um impacto ao desenvolvimento do País".

De acordo com o secretário, os institutos estão no nível de qualidade das universidades, mas se diferenciam delas porque não dão ênfase ao caminho acadêmico, e sim à formação técnica. "Os mestrados e doutorados serão profissionalizantes", ressaltou.

Moreira elogiou o trabalho do Congresso e observou que a expansão do ensino profissional não teria sido possível sem o apoio decidido dos parlamentares.

Institutos
A presidente da comissão e autora do requerimento para realização do debate, deputada Maria do Rosário (PT-RS), explicou que o novo modelo incorpora os centros federais de educação tecnológica, as escolas agrotécnicas federais e aquelas vinculadas às universidades. Ele será composto por 38 institutos federais, com 314 campi.

O sistema dá ênfase a cursos técnicos, em sua maioria de forma integrada com o ensino médio, e também oferece licenciaturas e graduações tecnológicas. Além disso, podem ser oferecidos especializações, mestrados e doutorados voltados principalmente para a pesquisa aplicada de inovação tecnológica.

Segundo a parlamentar, os institutos estão presentes em todos os estados. Ouça entrevista da deputada Maria do Rosário, que destaca o ensino técnico como uma oportunidade para quem está fora do mercado de trabalho.

Vagas
O reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás, Paulo César Pereira, destacou a importância dos institutos federais, que segundo ele abrem oportunidades para os trabalhadores. "Dificilmente um estudante da rede ficará desempregado", afirmou.

Pereira disse que 50% das vagas dos institutos são para cursos técnicos; 20% para formação de professores, principalmente de ciências; e 30% para as instituições fazerem ajustes necessários à realidade de cada região.

"Com a expansão do sistema, que será concluída em 2010, serão oferecidas mais 212 mil vagas", informou. Hoje, há 800 mil alunos no sistema.

A deputada Fátima Bezerra (PT-RN) disse que o destaque dado à educação profissional é um dos maiores legados do atual governo.

(*) Matéria atualizada às 19h10.

Notícias relacionadas:
Câmara aprova novo modelo de educação tecnológica e profissional
PEC cria o Fundo Nacional do Ensino Técnico
Mercado exige educação profissional continuada, diz professora
Projeto prevê integração gradual dos ensinos médio e profissionalizante

Reportagem - Oscar Telles e Karla Alessandra
Edição – João Pitella Junior

(Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura `Agência Câmara`)

Agência Câmara
Tel. (61) 3216.1851/3216.1852
Fax. (61) 3216.1856
E-mail:agencia@camara.gov.br

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.