Direitos Humanos

Câmara aprova renda para trabalho de menor infrator

20/06/2008 - 17:59  

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou na terça-feira (17) a concessão do direito, a adolescentes infratores, de receber metade do rendimento que obtiverem em atividades profissionalizantes em regime de semiliberdade. O texto aprovado é o substitutivo do deputado Luiz Couto (PT-PB) ao Projeto de Lei 1871/03, do deputado Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ).

De acordo com o substitutivo, a outra parte da renda será dividida igualmente entre os pais do jovem e a entidade em que as atividades forem exercidas. Parte da cota do menor, a critério do juiz, será depositada em caderneta de poupança, e só poderá ser sacada após o cumprimento das medidas socioeducativas às quais ele estiver submetido.

A regra de que as atividades de escolarização e de profissionalização de menores infratores devem ser supervisionadas por um juiz foi mantida.

Diferenças
Em linhas gerais, o substitutivo de Luiz Couto é semelhante ao texto aprovado na Comissão de Seguridade Social e Família. A principal mudança feita nessa comissão, em relação ao projeto original, é que o trabalho do adolescente em regime de semiliberdade, que seria voluntário, passou a ser obrigatório. A novidade do texto aprovado na CCJ é, basicamente, a explicitação de que será dividida a cota individual de cada menor, e não o produto total das atividades.

Tramitação
O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será enviado ao Senado.

Notícias anteriores:
Seguridade aprova trabalho obrigatório para menor infrator

Reportagem - Edvaldo Fernandes
Edição - Regina Céli Assumpção

(Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura `Agência Câmara`)

Agência Câmara
Tel. (61) 3216.1851/3216.1852
Fax. (61) 3216.1856
E-mail:agencia@camara.gov.brJPJ

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Sua opinião sobre: PL 1871/2003

Íntegra da proposta