Educação, cultura e esportes

Comissão de Cultura aprova punição para quem plagiar ou comercializar trabalho acadêmico

Projeto de lei ainda será analisado por outra comissão e pelo Plenário da Câmara

21/03/2024 - 12:01  

Marina Ramos / Câmara dos Deputados
Audiência Pública - Melhorias e ampliação do Programa de Aquisição de Alimentos - PAA, como instrumento de fortalecimento da agricultura familiar. Dep. Mersinho Lucena (PP - PB)
Mersinho Lucena: plágio é antiético e prejudica sistema educacional

A Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados aprovou projeto de lei que prevê pena de três meses a um ano de detenção ou multa para quem plagiar ou comercializar trabalho acadêmico, com intuito de lucro direto ou indireto. 

A proposta abre exceção para o serviço de revisão linguística e das normas da ABNT.

O texto aprovado é o substitutivo do relator, deputado Mersinho Lucena (PP-PB), ao Projeto de Lei 1820/22, da deputada Carla Zambelli (PL-SP). A medida é inserida no Código Penal, e a pena prevista é a mesma já aplicada para a violação de direitos autorais. 

“O plágio e a comercialização de trabalhos acadêmicos representam grave violação dos direitos autorais, pois envolvem a apropriação indevida do trabalho intelectual alheio”, afirmou Mersinho Lucena. “Tal prática, além de antiética, contribuiu para prejudicar a confiabilidade dos sistemas de avaliação educacional”, acrescentou. 

No substitutivo, o relator deixa claro que a punição valerá apenas para “aquele que sabe que os referidos trabalhos foram produzidos de maneira fraudulenta ou encontram-se viciados por plágio”. 

Próximos passos
A proposta ainda será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ). Depois, seguirá para o Plenário.

Reportagem - Lara Haje
Edição - Marcelo Oliveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Íntegra da proposta