Direitos Humanos

Lei determina que poder público incentive parentalidade positiva para coibir violência contra criança

Parentalidade positiva é o processo de educação das crianças fundamentado no respeito, acolhimento e não violência

21/03/2024 - 13:53  

Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados
Deputada Laura Carneiro fala ao microfone
Lei teve origem em projeto da deputada Laura Carneiro

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a Lei 14.826/24, que institui a parentalidade positiva e o direito ao brincar como estratégias de prevenção à violência contra crianças. Caberá à União, aos estados, ao Distrito Federal e aos municípios desenvolver ações para incentivar as práticas. 

Publicada no Diário Oficial desta quinta-feira (21), a norma foi originada no Projeto de Lei 2861/23, da deputada Laura Carneiro (PSD-RJ), aprovado em agosto do ano passado pela Câmara dos Deputados e em fevereiro pelo Senado Federal.

A lei define parentalidade positiva como o processo de criação dos filhos baseado no respeito, no acolhimento e na não violência.

O texto confere ao Estado, à família e à sociedade o dever de proteger, preservar e garantir o direito ao brincar de todas as crianças com até 12 anos, por meio de:

  • ações de proteção da vida delas;
  • de apoio emocional; e
  • de estímulo à sua autonomia e ao pleno desenvolvimento de suas capacidades neurológicas e cognitivas.

O poder público deverá  editar atos normativos necessários à efetividade a lei.

Reportagem - Lara Haje
Edição - Natalia Doederlein

  • Áudio da matéria

    Ouça esta matéria na Rádio Câmara

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.