Agropecuária

Comissão aprova estímulo à produção de madeira certificada em lotes da reforma agrária

O projeto ainda será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania

22/09/2023 - 10:55  

Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados
Deputado José Medeiros (PL-MT) fala em comissão da Câmara dos Deputados
Medeiros: amplia as possibilidades de conquista do sustento pelos agricultores assentados

A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural aprovou o Projeto de Lei 4387/20, que permite o uso de até 50% da área dos lotes individualizados de assentamentos da reforma agrária como áreas de reflorestamento, para produção de madeira certificada e sustentável.

O projeto foi apresentado pelo ex-deputado Christino Áureo (RJ) e inclui a medida na Lei da Reforma Agrária. O parecer do relator, deputado José Medeiros (PL-MT), recomendou a aprovação, com uma emenda que desobriga os assentados de fazer o plano de manejo da área reflorestada para produção de madeira.

Manejo
Segundo Medeiros, o Código Florestal não exige o plano de manejo na exploração de florestas plantadas. “Não se faz manejo para retirar aquilo que se plantou para fins de produção”, disse.

O relator afirmou que o projeto “amplia as possibilidades de conquista do sustento e da dignidade pelos agricultores assentados”.

A proposta ainda será analisada, em caráter conclusivo, pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. O projeto já foi aprovado pela Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.

Regras
O projeto prevê que a produção florestal madeireira de cada lote individualizado será administrada pelos produtores assentados com supervisão de órgãos federais envolvidos e parcerias com a iniciativa privada. A atividade deverá seguir as regras da política ambiental.

O plano de desenvolvimento sustentável do assentamento de reforma agrária definirá os critérios técnicos de implantação das unidades produtivas, a assistência técnica de produção e a comercialização da madeira produzida.

As atividades serão financiadas por linhas de crédito oficial, como o Programa Nacional de Agricultura Familiar (Pronaf).

Reportagem - Janary Júnior
Edição - Marcia Becker

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'.


Íntegra da proposta