Rádio Câmara

Samba da Minha Terra

Censura nunca mais

Censura nunca mais

23/07/2023 - 12h00

  • Censura nunca mais - versão em bloco único

  • Censura nunca mais - Bloco 1

  • Censura nunca mais - Bloco 2

Samba da Minha Terra escancara as letras de sambas de resistência a períodos ditatoriais no Brasil. Muitas composições foram barradas ou alteradas por órgãos repressores, como a Divisão de Censura de Diversões Públicas (DCDP) da ditadura militar (1964/85) e o Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP) do Estado Novo (1937/45). O quadro “papo de samba” resgata depoimento de Taiguara, que viu 68 músicas censuradas entre os anos 60 e 70. Conheça sambas censurados de Gonzaguinha, Wilson Batista, Riachão, Paulinho da Viola, Candeia, Aldir Blanc, João Bosco, Sérgio Sampaio e Chico Buarque, que teve de adotar o pseudônimo de Julinho da Adelaide para tentar driblar os censores. O programa celebra o Dia Nacional da Liberdade de Imprensa, em 7 de junho, e o dia 8 de agosto de 1988, quando a Assembleia Constituinte aprovou o artigo da nova Constituição que garantiu a liberdade de expressão e determinou o fim da censura no Brasil. Foto: Arquivo Nacional (editada com realces em vermelho)

MÚSICAS

Samba do avestruz (Gonzaguinha), idem
Comportamento geral (Gonzaguinha), com Maria Rita
Céu-país (Gonzaguinha), idem
Meu novo sapato (Paulinho da Viola), idem
Mosca na sopa (Raul Seixas), idem
Chô-chuá (Cada macaco no seu galho) (Riachão), idem
Acorda, amor (Julinho da Adelaide/pseudônimo), com Chico Buarque
Jorge Maravilha (Julinho da Adelaide/pseudônimo), com Chico Buarque
Milagre brasileiro (Julinho da Adelaide/pseudônimo), com Miúcha
O Bonde São Januário (Wilson Batista), com Gilberto Gil
O Morro do Sossego (Candeia e Arthur José Poener), com Cristina Buarque
Samba de Orly (Chico Buarque, Toquinho e Vinícius de Moraes), com Chico Buarque e Toquinho
O bêbado e a equilibrista (Aldir Blanc e João Bosco), com Maria Rita
Eu quero é botar meu bloco na rua (Sérgio Sampaio), idem
Apesar de você (Chico Buarque), idem

TRECHOS
Cálice (Chico Buarque e Gilberto Gil), idem
Cálice (Chico Buarque e Gilberto Gil), com Chico Buarque e Milton Nascimento
É proibido proibir (Caetano Veloso), idem
Que as crianças cantem livres (Taiguara), idem
Si se calla el cantor (Horácio Guarani), com Mercedes Sosa e Horácio Guarani
Pra não dizer que não falei das flores (Geraldo Vandré), idem

Sonoplastia - Tony Ribeiro
Apresentação e pesquisa - José Carlos Oliveira

Acompanhe a riqueza poética e melódica do ritmo mais popular do Brasil. Quadros especiais destacam as letras mais requintadas, inovadoras ou significativas, as entrevistas históricas e os espaços dedicados ao samba em todo o país.

Domingo, às 12h, e quinta, à 0h

TODAS AS EDIÇÕES