BARÃO DE MAUÁ

Biografia

Foto do(a) deputado(a) BARÃO DE MAUÁ
  • Data de falecimento: 20/10/1889
  • Profissões: Comerciário; Juiz

Mandatos (na Câmara dos Deputados):

Deputado(a) Federal - RS, Dt. Posse: 27/08/1855; Deputado(a) Federal - RS, Dt. Posse: ; Deputado(a) Federal - RS, Dt. Posse: 03/05/1861; Deputado(a) Federal - RS, Dt. Posse: ; Deputado(a) Federal - RS, Dt. Posse: .

Atividades Profissionais e Cargos Públicos:

Vindo para o Rio de Janeiro muito criança, dedicou-se ao comércio como caixeiro e mais tarde associou-se à uma importante casa desta praça; Foi responsável pela construção da 1ª via férrea que o Brasil teve, a Estrada de Mauá, contribuindo ele com um terço do capital preciso, pelo que obteve o título de barão, do qual depois foi elevado a visconde; São também empreendimentos seus: a navegação a vapor do Amazonas; a iluminação a gás; o cabo submarino; o estabelecimento da Ponta da Areia para fundição de ferro e maquinismos; a companhia de diques flutuantes; a companhia de transportes fluminenses; a companhia de Luz elétrica; a companhia de cortumes; a companhia de rebocadores para a barra do Rio Grande do Sul; a Botanical Garden's, Rail Road Company; a via férrea de Santos à Jundiaí; a via férrea do Rio Verde; a via férrea do Paraná à Mato Grosso; e o banco Mauá, com ramificações dentro e fora do império..

Atividades Sindicais Representativas de Classe Associativas e Conselhos:

Membro honorário do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro..

Estudos e Cursos Diversos:

Já negociante, foi à Europa e o estudo que fez dos grandes cometimentos do velho mundo o impressionaram de tal modo, que dedicou-se toda sua vida a introduzir no seu país tudo, quanto na ordem dos melhoramentos materiais pudesse elevá-lo entre as demais nações..

Obras Publicadas:

Relatório da companhia de navegação e comércio do Amazonas, apresentado à Assembléia Geral dos Acionistas a 23 de abril de 1858, pelo presidente da companhia etc, Rio de Janeiro, 1858; Apontamentos sobre o melhoramento do porto de Pernambuco pelo conselheiro Manoel da Cunha Galvão, e proposta para levá-lo a efeito pelo Sr. Barão de Mauá, conselheiro Manoel da Cunha Galvão e Dr. Joaquim Francisco Alves Branco Muniz Barreto, Rio de Janeiro, 1867; Caminho de ferro de Santa Izabel, da província do Paraná à Mato Grosso - considerações sobre a empresa pelo Visconde de Mauá; relatório de Willian Flogd, membro do Instituto dos Engenheiros da Inglaterra - Rio de Janeiro, 1875; O meio circulante do Brasil, Rio de Janeiro, 1878; Exposição do Visconde de Mauá aos credores de Mauá & C. e ao público, Rio de Janeiro, 1878; Manifesto dirigido à Câmara dos Deputados em 1873 - quando renunciou ao mandato, no qual declara que seu diploma exprimia um duplo erro de apreciação; Estatutos da companhia pastoril, agrícola e industrial, aprovados, etc. Rio de Janeiro, 1883..