Arte: Thiago Fagundes

Como tornar as cidades mais seguras e amigáveis para idosos

Podcast da Rádio Câmara mostra problemas e alternativas para melhorar a mobilidade de pessoas idosas

O rápido envelhecimento da população traz um desafio para cidades de todos os tamanhos, como garantir acessibilidade e mobilidade aos idosos. Problemas não faltam – vão do estado lamentável das calçadas a uma rede de transportes públicos que não leva em conta as necessidades dos mais velhos.

Parlamentares, prefeitos e outros profissionais trabalham para adaptar calçadas, prédios e transportes públicos e oferecer programas de reabilitação a pessoas com mobilidade prejudicada.

Fotos: Acervo CD

Luciana Gill Barbosa, do Ministério da Cidadania: “Quanto que eu, com as características físicas que eu tenho, sabendo o território que eu tenho, estou disposto a sair ou eu tenho receio de sair. Na perspectiva da caminhabilidade, a calçada é vista não só como uma área de transição, que eu vou e volto para realizar as minhas atividades do dia a dia, como também um espaço para permanecer, convívio, troca, integração espacial e social.”

Deputada Dulce Miranda (MDB-TO): “Nós estamos trabalhando muito as capitais e cidades grandes, mas nós estamos esquecendo dos municípios pequenos. E é uma das minhas preocupações, que é lá que nós vamos ter que trabalhar com os gestores públicos pra que os nossos idosos que estejam nas capitais tenham o mesmo carinho nas cidades menores.”

Antonio Fernandes, secretário nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa idosa: “Os municípios vêm sofrendo, ao longo do tempo, uma diminuição dos seus recursos, a dificuldade de investimento, de sustentação da saúde, da educação, e nós acreditamos que precisamos fazer uma revolução das ideias nesse país para que a Política Nacional da Pessoa idosa possa ser realmente incrementada.”

Henrique Noya, diretor do Instituto Mongeral Aêgon: “Um país que tem mais qualidade de vida para os idosos é um país que tem qualidade de vida pra todo mundo e aí se torna mais atrativo, mais apto a receber investimentos de longo prazo, de capital e a gente consegue promover mais bem-estar social, agindo, olhando a questão da longevidade com qualidade de vida.”

Ouça o podcast em cinco capítulos

  • Parte 1 - Pesquisadores vão monitorar impacto de inatividade física por causa de quarentena

  • Parte 2 - Deputados discutem propostas para melhorar a acessibilidade de idosos

  • Parte 3 - Fundos devem incentivar municípios que promovem qualidade de vida de idosos

  • Parte 4 - Municípios ouvem queixas de idosos para adaptar políticas públicas

  • Parte 5 - Gestores promovem cursos para oferecer novos serviços a idosos