Enquete do PL 1361/2015

Resultado

Resultado final desde 30/04/2018

Opção Participações Percentual
Concordo totalmente 1.639 97%
Concordo na maior parte 36 2%
Estou indeciso 3 0%
Discordo na maior parte 6 0%
Discordo totalmente 20 1%

Resultado na metodologia anterior Sobre Resultado na metodologia anterior?

Resultado final desde 30/04/2018

Representação dos dados do gráfico em forma de tabela
Opção Participações Percentual
Concordo 782 99
Discordo 8 1

O que foi dito

Pontos mais populares

aquele que possue a perda de um ouvido vai ser considerado deficiente.E vai beneficiar em vários aspectos, como no trabalho e respeito da sociedade e com tudo, os nossos direitos.

matheus yoran 05/12/2018
107

O ponto negativo é a demora para a aprovação, pois tenho perda auditiva unilateral total e não estou conseguindo trabalhar devido o preconceito.

Dinho Claudio 18/12/2018
114

Todos os pontos levantados pelos usuários

Exibindo resultados 1 a 10 de 326 encontrados.

Baixar
  • Ponto negativo: O que era para ser uma lei inclusiva, tornou-se uma lei exclusiva, pois depois da Emenda nº 1 – CDH incluiu apenas os surdos unilaterais total, excluindo TODOS os surdos unilaterais de grau moderado a grave, então, como a partir do grau moderado já não se consegue emprego por não ter a audição normal, e não é considerado PCD, fica totalmente no limbo sem ter direito a nada. É um triste dilema , não ser normal e nem PCD. Até foi um lei que nasceu boa, mas foi estragada por uma emenda.

    João Cicero Moura 17/12/2023
    0
  • Ponto negativo: Essa lei ainda deixa o deficientes auditivos unilaterais de graus moderado a grave no limbo, pois não são amparados pela lei graças a Emenda/Substitutivo do Senado, então ainda não somos nem deficientes e nem pessoas normais. Então para quem tem deficiência auditiva nos graus moderado a grave, é a mesma coisa que chover no molhado.

    Vlad Dracul 14/12/2023
    0
  • Ponto positivo: Reconhece surdos unilaterais como Pessoas com Deficiência.

    Vlad Dracul 14/12/2023
    0
  • Ponto positivo: Teremos o reconhecimento legal de algo básico que é direito como ser humano! Que a nossa deficiencia já reconhecida pela ANS seja levada em consideração! Só quem VIVE UMA DEFICIENCIA SABE O QUANTO ELA NOS LIMITA E AFETA OUTRAS FACULDADES, SENSORIAIS E MENTAIS A CADA DIA MAIS! É inaceitavel que haja uma discriminação sobre nós em relação por exemplo aos cegos monooculares que viveram o MESMO DRAMA mas que já alacançaram vitória!

    Carolina Zanella 07/12/2023
    0
  • Ponto negativo: Gostaria de saber se algum partido vai tomar a frente nessa proposta e nos dar algum retorno sobre, pois merecemos ter direito em nos conciderar PCD ja que não nos sentimos iguais como uma pessoa que escuta nos dois ouvidos.

    Anna Oliveira 21/09/2023
    5
  • Ponto negativo: Não reconhecer os surdos unilaterais como pessoas com deficiência só ajuda a manter a disciminação e o preconceito no mercado de trabalho o que incentiva a exclusão pela condição física (barreira atitudinal). Com o preconceito e a discriminação existentes faz com que não sejam tratados como capazes a exercer diversas funções sendo considerados ináptos, a contrário modo, não são reconhecidos como pessoas com deficiência deixando-os desprotegidos legalmente_na marginalização e no limbo jurídico.

    Paula 19/09/2023
    4
  • Ponto positivo: O reconhecimento da Surdez Unilateral como pessoa com deficiência acarretaria a inclusão e a acessibilidade dessas pessoas no mercado de trabalho, pois são excluídas tanto no setor público quanto no privado.Consequentemente geraria uma maior autonomia em relação a sua própria subsistência, uma diminuição do preconceito e da discriminação na sociedade, além de retirar os surdos unilaterais da marginalização da lei provocada pela permanência no LIMBO JURÍDICO.

    Paula 19/09/2023
    4
  • Ponto positivo: SENDO APROVADO ESSA LEI VAMOS SE SENTIR AMPARADO DIANTE AS LEI E TEMOS EMPODERAMENTOS NO NOSSOS DIREITOS E RESPEITO DIANTE A SOCIEDADE.

    Hernagila Costa de Freitas 26/08/2023
    7
  • Ponto negativo: DEVIAM LOGO APROVAR ESSA LEI PQ SEMPRE SOMOS HUMILHADOS DIANTE A SOCIEDADE SENDO CHAMADA DA VELHA MOCA DA PRAÇA É NOSSA ,DE SURDA NA SOCIEDADE, NOS EMPREGOS SOMOS REPROVADOS NA SELEÇÃO,SENDO ATÉ IMPOSSIBILITADO DE VOAR DE AVIÃO POR CAUSA DO BARULHO,SOM ALTO,AMBIENTE COM MUITA GENTE,PASSAMOS VERGONHA NA HORA QUE ALGUEM QUER FALAR ALGO NO OUVIDO,NÃO PODEMOS USAR FONE DE OUVIDO PQ ÚNICO OUVIDO DÓI E QUEIMA E TEMOS RECEIO DE ATÉ LAVAR UM CABELO NO SALÃO COM RECEIO DE ENTRAR AGUA NO ÚNICO OUVIDO BOM

    Hernagila Costa de Freitas 26/08/2023
    7
  • Ponto positivo: Essa lei deveria ser aprovada para ontem, é absurdo uma pessoa com deficiência auditiva unilateral não ser considerada deficiente. Uma pessoa com deficiência auditiva unilateral fica excluída de quase tudo, porque não é considerada deficiente mas também sofre preconceito nas empresas, processos seletivos e dia a dia em geral fora que qualquer fonte de poluição sonora prejudica muito a capacidade de audição e causa um estresse tremendo.

    Ricardo da Silva Pinto 05/08/2023
    7

Enquetes populares nesta semana

  1. PL 85/2024

    Dispõe sobre fornecimento gratuito da caneta de adrenalina auto injetável pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

  2. PEC 14/2021

    Altera o art. 198 da Constituição Federal para estabelecer o Sistema de Proteção Social e Valorização dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias, a aposentadoria especial e exclusiva, e fixar a responsabilidade do gestor local do SUS pela regularidade do vínculo empregatício desses profissionais.

  3. PL 393/2024

    Institui a obrigatoriedade de reconhecimento de diploma de pós-graduação em psicomotricidade por Conselho Profissional, alterando a Lei nº 13.794, de 3 de janeiro de 2019.

  4. PL 2283/2021

    O Projeto de Lei 2283/21 estabelece procedimentos para avaliação de imóveis destinados a órgãos e entidades da administração pública federal no âmbito dos três Poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) e do Ministério Público, inclusive de empresas estatais ou sociedades de economia mista. Conforme o texto em análise na Câmara dos Deputados, as avaliações de bens imóveis serão resultado de análise técnica para identificar valores, custos ou indicadores de viabilidade econômica para determinados objetivos, finalidades e datas. O laudo deverá ser subscrito por engenheiro, arquiteto ou agrônomo. Os procedimentos para a realização do laudo de avaliação de imóveis serão: - análise da documentação disponível; - vistoria obrigatória, salvo exceções justificadas por escrito; - coleta e tratamento de dados; - diagnóstico de mercado; - escolha da metodologia; e - apresentação de resultado da avaliação. “Atualmente, não há nenhuma lei que regule os procedimentos para a avaliação desses imóveis”, afirmou o autor da proposta, deputado Fausto Pinato (PP-SP). “A vistoria é fundamental na apuração do correto valor, já que poderá constatar problemas estruturais e de acabamento ou mesmo irregularidades evidentes.” Tramitação O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

  5. PL 392/2024

    Cria o Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Psicomotricidade, profissão instituída pela Lei n. 13.794, de 03 de janeiro de 2019, e dá outras providências.

  6. PL 4403/2016

    Proposta em análise na Câmara dos Deputados considera como típicas de Estado as atividades próprias da profissão de administrador quando realizadas por profissionais ocupantes de cargo efetivo no serviço público federal, estadual e municipal. Nesses casos, será exigido registro no Conselho Regional de Administração. A classificação está prevista no Projeto de Lei 4403/16, do deputado Carlos Henrique Gaguim (PTN-TO). Carreiras típicas de Estado são aquelas que integram o núcleo estratégico do Estado, requerendo maior capacitação e responsabilidade do profissional. Segundo o deputado, o objetivo é garantir aos administradores ocupantes de cargos efetivos no serviço público a condição de carreira de Estado em razão das responsabilidades técnicas da função, como a ordenação de despesas, de planos de cargos e salários, de planos administrativos e orçamentários e de prestações de contas. “É competência do administrador gerenciar os órgãos públicos e responder tecnicamente pelos resultados”, resume o autor. O projeto acrescenta a medida à Lei 4.769/65, que trata da profissão de administrador. Tramitação O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.