TV

TV Câmara, o Brasil passa aqui

Criada em 20 de janeiro de 1998 para transmitir as discussões e votações do Plenário e das comissões da Câmara dos Deputados, a TV Câmara se consolidou como canal público de informação e cidadania.

Além de exibir ao vivo todas as sessões do Plenário, a equipe da TV Câmara acompanha também os trabalhos das comissões permanentes, CPIs, seminários e qualquer manifestação de interesse público na Câmara dos Deputados. Edições diárias dos telejornais Câmara Hoje e Jornal da Câmara mostram os bastidores da Casa e detalham os assuntos importantes do dia. Reportagens em destaque entram na programação da TV pelo Câmara Informa. Na sexta-feira, os programas Revista da Câmara e Fatos e Opiniões apresentam o resumo dos trabalhos legislativos da semana.

Programas temáticos e de debates ampliam os assuntos em discussão na Câmara, como o Expressão Nacional, o Câmara Debate, o Palavra Aberta, o #Ocupação, o Participação Popular e o Ponto de Vista. Documentários e programas culturais completam a grade de programação da TV.

No ar 24 horas por dia e cobrindo 100% do território nacional, a TV Câmara está disponível em sinal aberto em várias capitais e diversos municípios. Sua programação também pode ser captada via satélite por antena parabólica e por serviços de assinatura.

Prêmios

A TV Câmara já recebeu prêmios pela produção de documentários e reportagens. Entre 2004 e 2010, sete produções da TV foram agraciadas com o Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog, o mais importante da área de direitos humanos do país. Em 2018, o documentário Terras Brasileiras, produção da TV Câmara que trata dos conflitos fundiários entre produtores rurais e comunidades indígenas em Mato Grosso do Sul, recebeu prêmios dos Júris Populares do Festival de Cinema de Brasília e do Festival Guarnicê de Cinema, de São Luís-MA.

Acessibilidade

Toda a programação da TV Câmara conta com recurso de legenda oculta em língua portuguesa (closed captions) 24 horas por dia, 7 dias por semana. As transmissões ao vivo das sessões do plenário e de alguns eventos de comissões oferecem janela de interpretação para a Língua Brasileira de Sinais (Libras). Todos os documentários e alguns programa culturais dispõem do recurso de audiodescrição: narração de trechos sem diálogos destinada à audiência cega.