TV Câmara

Ver TV

Estreia: 12/02/2015

Quais os limites éticos dos programas de medicina e saúde na TV?

Temas de medicina e saúde estão presentes em muitos programas de TV. Alguns com qualidade, e outros nem tanto. Nesta edição, o Ver TV vai debater os limites éticos e a abordagem crítica deste assunto com os convidados:

- Lavinio Camarim, integrante da comissão de divulgação de assuntos médicos do Conselho Federal de Medicina. “A mídia como um todo, principalmente a televisão, quando se propõe a fazer um trabalho interessante, com projeto, é muito importante, e pode utilizar-se sim da imagem do médico, do jornalista, de uma equipe multiprofissional para orientar o paciente. Então eu não tenho dúvida que casar essas coisas seria muito importante”;

- Pablo Sturmer, médico de família e comunidade, consultor do projeto Telessaúde do Rio Grande do Sul e consultor de conteúdos do programa Ser Saudável, exibido pela TV Brasil. “Um grande desafio é a transição populacional para o individual. No momento em que se faz um programa, a gente fala dos sintomas mais frequentes, das principais causas. Mas quando a gente está no consultório com uma pessoa, com aqueles sintomas, com sua história, a gente tem que levar muito para o contexto que ela nos traz. E muitas vezes o que ela vê na TV não corresponde à verdade dela”;

- Arquimedes Pessoni, jornalista e pós-doutorando em Educação na Saúde pela Faculdade de Medicina do ABC. É também professor de Comunicação na Universidade Municipal de São Caetano do Sul. “Eu acho que algumas novelas fazem muito bem o marketing do bem, que a gente fala do merchandising social. Dentro de uma novela, tratar de questões ligadas à saúde, do ponto de vista educativo, faz uma diferença enorme, porque aquele cidadão que está lá no fim do Brasil e que só tem a televisão como forma de se educar, ao assistir um entretenimento, acaba sendo educado”.

O programa também entrevistou:

- Paulo Eduardo Cajazeira, pesquisador de comunicação da Universidade Federal do Cariri, no Ceará. Ele faz uma análise da busca pela audiência dos programas de TV que tratam da saúde e como isso impacta o telespectador;

- Jacob Goldberg, pisicanalista e doutor em Psicologia. Ele questiona as afirmações médicas passadas pela televisão e o impacto delas nas pessoas. Ele também faz uma reflexão sobre como a TV deveria fazer para promover o pensamento crítico do telespectador;

- Enrique Barros, médico e apresentador do programa Ser Saudável, exibido na TV Brasil. Ele analisa as informações de saúde apresentadas pelas mídias e sua relação com os interesses publicitários. Ele também nos conta um pouco sobre como é a abordagem dos temas feitos pelo seu programa;

- Márcia Correa e Castro, superintendente do Canal Saúde, emissora de TV sediada na Fundação Oswaldo Cruz. Ela nos conta como o canal atua e faz uma crítica da abordagem da televisão brasileira sobre os temas de saúde.
 

Apresentação — Lalo Leal
Ver TV

Programa semanal que discute as funções, a programação, os avanços tecnológicos e as questões éticas de uma TV de qualidade, comprometida com a cidadania.

NOSSAS REDES

MAIS CONTEÚDO SOBRE