Rádio Câmara

Painel Eletrônico

Sucesso na prevenção ao suicídio depende de diagnóstico e tratamento na rede pública de saúde

05/09/2022 -

  • Entrevista - Antônio Geraldo da Silva

Coordenador da campanha Setembro Amarelo, que visa alertar para a necessidade de prevenção ao suicídio, o psiquiatra Antônio Geraldo da Silva aponta que o Brasil não dispõe de políticas públicas efetivas de saúde mental para tratamento, mesmo com a implantação da Política Nacional de Saúde Mental a partir de 2017. Os protocolos definidos no plano, segundo ele, não foram totalmente implantados por estados e municípios.

No Brasil, até a pandemia de coronavírus, 5,8% da população apresentava transtornos depressivos, o que coloca o país no segundo lugar mundial, mas após 2020 o número saltou para 11,3%. Para o psiquiatra, a pandemia, especialmente a partir de sua fase final, provocou uma alteração completa no modo de viver de muitas pessoas, até mesmo com a mudança no ritmo de funcionamento cotidiano e aumento do consumo de álcool e drogas. O especialista lembra que as doenças mentais são a maior causa de afastamento de trabalhadores e, ainda assim, o programa Farmácia Popular não dispõem de antidepressivos, antipsicóticos e estabilizadores de humor.

Os casos de suicídio diagnosticados no mundo revelam que 37% das pessoas tinham transtornos efetivos de humor e outras 22% abusavam do uso de substâncias psicoativas.

Apresentação – Marcio Achilles Sardi

Programa ao vivo com reportagens, entrevistas sobre temas relacionados à Câmara dos Deputados, e o que vai ser destaque durante a semana.

De segunda a sexta, às 8h, ao vivo

MAIS CONTEÚDO SOBRE