Rádio Câmara

Trilha das Artes

Felícia Johansson: teatro, tecnologias digitais e humor

Felícia Johansson: teatro, tecnologias digitais e humor

10/10/2020 - 19h00

Atriz, diretora, autora e professora de interpretação teatral da Universidade de Brasília, Felicia Johansson (foto, à direita) acaba de estrear a websérie Planetelle, fruto das pesquisas e experiências teatrais que ela vem desenvolvendo no campo do audiovisual, numa parceria do Departamento de Comunicação da Universidade Anhembi Morumbi (SP) com o Departamento de Artes Cênicas da UnB. O projeto  é realizado com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do DF.  Nessa websérie, ela e sua filha Clarisse Johansson (foto, à esquerda), também atriz, dão vida às personagens dessa bem humorada ficção científica que se passa num cenário apocalíptico de um planeta habitado só por mulheres. Uma cientista farsante explora sua assistente-cobaia fazendo-a crer que ela é uma androide, criada em laboratório. Esta, por sua vez, sonha em salvar o planeta, enquanto procura por sua verdadeira origem.

No programa, Felícia fala também das montagens desenvolvidas no âmbito acadêmico com base nos fundamentos do seu "Teatro de Mentira", do ensino das artes cênicas em plena pandemia e do papel da música na formação de atores.

MÚSICAS: Planetelle, Alex Queiroz | Brasília, Fábio Miranda |Oberon and Titania, Elvis Costello |  Bad Trip (Ainda Bem), Rita Lee e Lucina Turnbull.

SOBRE A ARTISTA

Felícia Johansson é professora adjunta de teatro do Departamento de Artes Cênicas da Universidade de Brasília, atriz, autora e diretora teatral. Coordena o projeto de extensão "Teatro de Mentira" que celebra o diálogo entre formas tradicionais de teatro (máscaras, clowns, commedia dell'arte) e artefatos criados a partir de novas tecnologias digitais (videos para internet, fotonovelas, power point presentations, webséries). Como diretora, realizou inúmeras montagens com estudantes do CEN, que por vezes saíram da sala de aula para serem encenadas nos teatros da cidade, como "A Porca Faz Anos" (2010), "Piscina sem Água" (2011), "Cabeça sem Mente" (2014) e “Decadenta” (2017). Em 2019, o Teatro de Mentira contou com a colaboração do Grupo de Pesquisa “Cinema expandido” vinculado ao PPGCOM- Universidade Anhembi Morumbi, (S.P) sob supervisão da Profa. Dra. Laura Canepa, para desenvolver um projeto de pesquisa em composição cênica para cromaqui. Um dos recursos dessa pesquisa é a websérie Planetelle.


Produção e Apresentação André Amaro

  • Felícia Johansson: teatro, tecnologias digitais e humor (Bloco único)

O programa mistura música, informação e opinião, além de trazer entrevistas com grandes artistas brasileiros.

Sábado, às 19h, e domingo, às 9h