Rádio Câmara

Reportagem Especial

Jovens líderes: mobilização pela reforma de praças públicas (05'10")

  • Jovens líderes: mobilização pela reforma de praças públicas (05'10")

Cecília Lotufo, hoje com 36 anos, já foi musa do movimento caras-pintadas. Em 1992, em São Paulo, ela acompanhou voto a voto a transmissão ao vivo de Brasília da abertura do processo de impeachment contra o ex-presidente Fernando Collor.

A multidão foi comparada ao movimento estudantil da década de 60 contra a ditadura, mas sob o enfoque da manutenção do regime democrático, em vez da luta pela queda do regime em 68.

A energia jovem, segundo Cecília, foi direcionada para a intervenção no momento político da época.

"Eu era uma menina, uma adolescente, que é bem essa época que a gente percebe que tem muita força. E essa energia nessa época está a ponto de explodir, e isso foi um pouco do que aconteceu, foi um momento que eu estava com muita coisa dentro de mim e eu precisava colocar isso para fora. Foi como uma explosão mesmo que isso tenha acontecido na minha vida e no meu entorno."

A ex cara-pintada ainda acredita na mobilização juvenil em momentos de crise política, mas escolheu um novo caminho. Cecília Lotufo criou o projeto "Boa Praça", onde moradores se juntam para recuperar, por conta própria, espaços públicos na capital paulista.

A reforma de praças conta com a ajuda do comércio local e a comunidade se envolve na obra. Os novos espaços são utilizados pelas crianças e adolescentes da vizinhança, com lazer e esporte.
Cecília acredita que essa é uma nova forma de diálogo com a juventude.

"A gente começa a perceber que é preciso ter uma relação mais profunda da sociedade com o adolescente e vice-versa. Hoje, a gente vem trabalhando para escutar mais esses adolescentes para encontrar dentro deles qual o espaço que eles vislumbram, para que eles não tenham esses espaços ociosos e acabem ocupando ambientes que não digam respeito a eles necessariamente."

A cientista social Janice Sousa vê a mobilização dos jovens como irreversível, apesar de pontuais ainda em temas ligados diretamente a esse grupo e não em assuntos políticos nacionais.

"É uma tendência que está sendo identificada na última década, de meados de 90 para cá, que tem aparecido em movimentos que começaram pontuais e que se espalharam pelo Brasil. Um exemplo é o movimento de luta pelo transporte coletivo, pelo passe livre, que se espalhou pelo Brasil inteiro."

A pintura no rosto de Cecília Lotufo já saiu, mas ainda há herdeiros dos cara-pintadas país adentro. Em Alagoas, estudantes realizaram dois protestos no mês de agosto pelas ruas de Maceió contra a candidatura do senador Fernando Collor ao governo do Estado.

Cecília acredita no poder dos jovens. E acredita nas mudanças trazidas pela ação organizada, mesmo que seja por pequenos grupos, aqui e ali...

"Eu tenho uma crença que o mundo pode ser melhor do que é hoje. Ele pode ser um mundo mais justo, mais humano. E acredito que as pessoas têm isso na sua própria origem, que no fundo a humanidade gostaria de ser assim, então eu vou buscando dentro do meu jeito de ser formas de ação que possam me levar através desse caminho e, ao mesmo tempo, transformar de alguma forma o mundo que eu vivo."

De Brasília, Keila Santana.

A abordagem em profundidade de temas relacionados ao dia a dia da sociedade e do Congresso Nacional.

De segunda a sexta, às 3h, 7h40 - dentro do programa Painel Eletrônico - e 23h

facebook twitter spotify podcasts apple rss

Todas as Edições