Rádio Câmara

Reportagem Especial

O preconceito enfretado pelos obesos (06'22'')

  • O preconceito enfretado pelos obesos (06'22'')

Preconceito, sofrimento e depressão são alguns dos problemas enfrentados pelos obesos.

Para ajudar estas pessoas foi criada em 2005 a Associação de Obesos e Operados Bariátricos de Paranavaí, Paraná.

Raquel Prestes de Mello, 62 anos é diretora da associação e explica que o acompanhamento é feito por uma equipe multidisciplinar com médicos, nutricionistas, fisioterapeuta, pscicólogo e fonoaudiólogos para esclarecer as dúvidas e preparar o paciente para a cirurgia bariátria e acompanhar o pós-operatório.

"O que operou ele tem que ter um acompanhamento, principalmente nutricional, então ele continua participando das reuniões porque nós trabalhamos com dois tipos de reuniões, uma para o pessoal do pós, que é o pessoal que já operou e outro é o pessoal do pré que ainda vai operar."

Atualmente a associação tem 500 pessoas esperando pela cirurgia. Duzentas operações já foram realizadas e a associação tem mil associados.

Não encontrar roupas ou não conseguir se locomover também são problemas que fazem parte do dia a dia dos obesos.

Raquel Prestes lembrou que o preconceito reside exatamente na falta de informação, porque a sociedade não encara o obeso como uma pessoa doente, mas como uma pessoa fraca que é assim porque quer.

"Você entra num restaurante oh aquele ali é gordinho ele vai comer muito, ele não vai passar na roleta de um ônibus por exemplo e todo mundo fica olhando. Então tem uma série de discriminações, ninguém quer levar, ninguém quer sair, às vezes, ele tem problema até de carona porque ninguém quer por um obeso dentro do carro porque nós temos pacientes até de 200 quilos. É complicada a vida deles. Eles têm inúmeras dificuldades aí eles vão para a depressão geralmente, tem uns que até se recusam a sair de casa."

A obesidade também pode ser um empecilho para a entrada de uma pessoa no mercado de trabalho.

Ser visto como preguiçoso, afastar-se constantemente do trabalho devido a doenças relacionadas à obesidade, sentir-se discriminado.

Essas são as queixas mais comuns de profissionais que sofrem com o excesso de peso. Além dos danos à saúde, à vida social e conjugal, os quilos a mais podem prejudicar, e muito, a vida profissional.

Estudos realizados nos Estados Unidos apontam que quanto mais obeso o trabalhador, maior é o número de licenças médicas e dias de ausência no trabalho por ano e mais precoce é a sua aposentadoria.

Além disso, pessoas com sobrepeso têm mais dificuldade para conseguir emprego e geralmente ocupam cargos menos expressivos e com pior remuneração.

Diversas atividades que fazem parte da rotina de trabalho requerem certa agilidade, como subir escadas, passar por corredores estreitos ou ocupar espaços confinados, e tudo foi projetado para pessoas magras.

Até mesmo as viagens se tornam um tormento para os obesos, pois o uso de poltronas de aviões se transforma em dificuldade.

O ex-presidente da Abeso, Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade, Doutor Marcio Mancini destaca que o preconceito que envolve os obesos se deve à falta de informação.

"Existe um preconceito muito grande com o obeso, tudo isso é fruto de uma mentalidade atrasada no sentido de achar que o obeso é obeso porque ele tem uma falha de caráter ou de personalidade, porque ele não tem força de vontade, então ele é simplesmente um preguiçoso que não consegue seguir as orientações. E isso não é verdade tem muitos magros que se comportam da mesma forma e que não têm a genética para ganhar peso."

O endocrinologista Paulo Costa, defende que a pessoa com excesso de peso deve atacar o problema de frente, procurando ajuda especializada para investigar os motivos do sobrepeso, avaliando o paciente como um todo.

Para ajudar na conscientização da sociedade na luta contra o excesso de peso foi instituído em 2009, o dia 11 de outubro como o Dia Nacional de Prevenção à Obesidade.

O ex- presidente da ABESO, Marcio Mancini, afirmou que apesar de modesta, a campanha tem por objetivo chamar a atenção para o problema.

"A Abeso anualmente no dia nacional da prevenção da obesidade que é o dia 11 de outubro, costuma fazer uma campanha em várias cidades do Brasil. No ano passado teve um evento grande no Parque do Ibirapuera aqui em São Paulo e também em Salvador. É mais uma campanha no sentido de chamar a atenção para o problema de conscientizar a população. Mas é claro que isso deveria ser maior, muito mais divulgado."

Já o Ministério da Saúde está investindo em ações de promoção da saúde.

Um dos programas tem por objetivo capacitar as equipes de saúde da família para a promoção da saúde e melhoria da qualidade de vida da população.

A médica sanitarista,Deborah Malta, coordenadora geral de doenças e agravos não transmissíveis do Ministério da Saúde, lembrou que o Programa Saúde da Família está presente em mais da metade dos municípios brasileiros e atende principalmente os usuários do Sistema Único de Saúde.

"Para que cada vez mais a equipe de Saúde da Família que é bastante disseminada no Brasil e cada vez mais eles estão sendo orientados, os profissionais do Saúde da Família, para que o tema da promoção da saúde ele seja então incorporado no cotidiano com ações e recomendações em relação à alimentação saudável, atividade física, prevenção do tabagismo, a prevenção do álcool e desse fatores de risco."

O Ministério da Saúde também vai liberar recursos para mil e 500 municípios que apresentarem projetos para promoção da saúde através de atividades físicas e alimentação saudável.

Os municípios interessados podem obter informações sobre o edital na Portaria 184 publicada em junho no Diário Oficial.

De Brasília, Karla Alessandra.

A abordagem em profundidade de temas relacionados ao dia a dia da sociedade e do Congresso Nacional.

De segunda a sexta, às 3h, 7h40 - dentro do programa Painel Eletrônico - e 23h

facebook twitter spotify podcasts apple rss

Todas as Edições