Rádio Câmara

Reportagem Especial

Especial IBGE 5: Veja a diferença de consumo entre famílias brancas e negras(04'28'')

  • Especial IBGE 5: Veja a diferença de consumo entre famílias brancas e negras(04'28'')

NESTA SEMANA, A RÁDIO CÂMARA APRESENTOU UMA SÉRIE DE REPORTAGENS SOBRE A PESQUISA DE ORÇAMENTOS FAMILIARES DO INSTITUTO NACIONAL DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA, O IBGE. EM CINCO REPORTAGENS, VOCÊ CONFERIU UM PANORAMA SOBRE OS DADOS DA PESQUISA, QUE MOSTRAM UM PERFIL DAS DESPESAS DO BRASILEIRO. NA MATÉRIA DE HOJE, QUE É A ÚLTIMA DA SÉRIE, A REPÓRTER DANIELE LESSA MOSTRA AS DIFERENÇAS DE CONSUMO ENTRE FAMÍLIAS BRANCAS E NEGRAS, E ENTRE FAMÍLIAS CHEFIADAS POR HOMENS E POR MULHERES.

A Pesquisa de Orçamentos Familiares do IBGE evidenciou uma desigualdade antiga: existe um fosso social entre negros e brancos no Brasil. As famílias cuja pessoa de referência é branca ganham, em média, 45% a mais do que as famílias negras e pardas. Conseqüentemente, as famílias brancas também gastam mais. A despesa média mensal das famílias brancas é 25% superior do que a média nacional. Famílias em que o responsável é branco gastam mais que o dobro com educação, em média, oitenta e três reais por mês, enquanto o gasto educacional das famílias negras e pardas é de trinta reais reais. Para o pesquisador do IPEA, especialista em desigualdade social, Serguei Soares, de fato a educação está no centro do problema.

"Em grande medida, o problema de hiato entre negros e brancos é de qualificação, é um problema que negros têm baixa escolaridade relativa aos brancos, isso apesar do fato que há também discriminação contra negros no mercado de trabalho".

A pesquisa do IBGE, também chamada de POF, verificou a grande diferença existente entre negros e brancos no acesso a bens e serviços. Nos quesitos assistência à saúde e lazer, por exemplo, famílias brancas gastam mais que o dobro que famílias negras e pardas. O gerente do IBGE, Edilson Nascimento exemplifica com uma outra situação: a compra de carros.

"Pra você ter uma idéia, na aquisição de veículos, a despesa média mensal das famílias com a pessoa de referência branca, a POF mostrou 160 reais de gasto médio. Contra, na questão da pessoa responsável ser preta ou parda, em torno de 55 reais, quase três vezes mais, está vendo?".

Quanto à alimentação, famílias brancas gastam 38% a mais do que famílias negras.

A pesquisa de Orçamentos Familiares mostra que famílias chefiadas por homens têm rendimento mensal 21% maior do que as famílias onde as mulheres são responsáveis. Nessa situação, as mulheres não necessariamente vivem só com os filhos. Muitas vezes os companheiros contribuem financeiramente, mas são elas que respondem pela maior parte dos rendimentos e despesas. Para o pesquisador Serguei Soares, o que está no centro da diferença de renda entre homens e mulheres não é a educação, como acontece entre negros e brancos, mas sim a discriminação no mercado de trabalho.

"Na verdade, as mulheres têm mais qualificação que os homens, elas são mais educadas que os homens. O que elas têm é uma discriminação muito intensa no mercado de trabalho. Parte dessa discriminação, você pode argumentar que não é exatamente uma discriminação, enfim, as mulheres vão ter filhos, interrompem suas carreiras, você pode dizer que são quase que opções, seja das mulheres, seja das famílias nas quais elas vivem, sobre qual é a inserção delas no mercado de trabalho. É questionável, mas é um argumento que você pode fazer".

Os homens gastam mais que as mulheres com aspectos como alimentação, fumo e transporte, enquanto as mulheres dão um peso maior que os homens a despesas como habitação e higiene, como explica Edilson Nascimento, do IBGE.

"O homem tende a gastar mais com transporte, talvez porque tem veículo próprio, transporte, gasolina, atividade econômica de trabalho, provavelmente. E aí uma diferença que a gente sente e dá para identificar é com relação à assistência à saúde, os gastos médios quando a gente olha a mulher e comprara com o homem, o peso relativo é maior para as mulheres, entendeu? Também higiene e cuidados pessoais".

Com algumas variações, as diferenças de renda e consumo entre homens e mulheres se repetem em todas as regiões do país.

AS CINCO REPORTAGENS DA SÉRIE SOBRE A PESQUISA DE ORÇAMENTOS FAMILIARES TAMBÉM PODEM SER OUVIDAS NA PÁGINA DA RÁDIO NA INTERNET PELO ENDEREÇO WWW.CAMARA.GOV.BR.ESTA SÉRIE TEVE PRODUÇÃO DE MÔNICA LION E LUCÉLIA CRISTINA, EDIÇÃO DE ANA DELMONTE E TRABALHOS TÉCNICOS DE GILSON CARLOS.

A abordagem em profundidade de temas relacionados ao dia a dia da sociedade e do Congresso Nacional.

De segunda a sexta, às 3h, 7h40 - dentro do programa Painel Eletrônico - e 23h

facebook twitter spotify podcasts apple rss

Todas as Edições