Rádio Câmara

Reportagem Especial

Especial Sebrae 4 - Prêmio Mulher de Negócios - (05'41'')

  • Especial Sebrae 4 - Prêmio Mulher de Negócios - (05'41'')

HOJE, NA ÚLTIMA EDIÇÃO DO REPORTAGEM ESPECIAL SOBRE OS PROJETOS BEM SUCEDIDOS DO SEBRAE, VOCÊ VAI CONHECER O PRÊMIO MULHER DE NEGÓCIOS, LANÇADO PARA VALORIZAR E ESTIMULAR A PRESENÇA FEMININA NOS EMPREENDIMENTOS.

Abrir um negócio no Brasil exige coragem e não é uma tarefa fácil, principalmente para as mulheres, que por tradição já desempenham diversos papéis em seus lares. No entanto, cada vez mais brasileiras descobrem a vocação para os negócios. O gerente da Unidade de Atendimento Individual do Sebrae, Enio Pinto, afirma que em números absolutos, somente a China e os Estados Unidos têm hoje mais mulheres empreendendo do que o Brasil.

"O Brasil está sempre entre os 10 países mais empreendedores do mundo. Isso a gente deve principalmente às mulheres. Se nós fizéssemos uma avaliação do empreendedorismo no Brasil isolando só o segmento masculino de empreendedores, nós estaríamos na 13ª posição. Se nós isolássemos só o público feminino, nós estaríamos na sexta posição do ranking de países mais empreeendedores. E no conjunto, o Brasil hoje está no sétimo lugar. Então, veja: quem traz o Brasil para essa posição de destaque é o empreendedorismo feminino."

Com o objetivo de estimular e divulgar iniciativas bem-sucedidas gerenciadas por mulheres, foi lançado em 2004 o Prêmio Sebrae Mulher de Negócios. Coordenado por Clarice Veras, o prêmio serve de exemplo para outras mulheres que desejem abrir um negócio próprio.

"O Prêmio Sebrae Mulher de Negócios é uma forma de reconhecer o talento e a persistência de mulheres do Brasil inteiro que vêm conseguindo sucesso nos seus negócios e ultrapassam diversas barreiras - que nós temos descoberto com esse prêmio - que (são) ainda existe muito preconceito e ainda existe muita dificuldade de conciliar os diversos papéis que essas mulheres precisam exercer."

Clarice lembra que o maior número de empreendimentos no Brasil é aberto por necessidade, como alternativa de renda e não por oportunidade, quando se identifica a necessidade por um produto. Segundo a coordenadora do prêmio, esses empreendedores que abrem seus negócios por necessidade em geral não têm capacitação nem formação sobre o ramo de atividade que vão empreender. Clarisse Veras salienta que a taxa de mortalidade desse tipo de empreendimento é muito alta, daí a importância de se premiar aqueles que conseguem bons resultados.

"O prêmio (ele) mostra negócios sustentáveis, negócios que estão no mercado há mais de dez anos ou negócios que tiveram uma grande transformação nos últimos anos, que está em expansão. Negócios que de fato estão aproveitando oportunidades. Por isso, essas histórias são exemplos para muitas outras mulheres que têm interesse em empreender. Mas exemplos que mostram que é necessário planejamento, que é necessário estabelecer meta, que é necessário persistência."

Na categoria individual, uma mulher de cada região brasileira é premiada. Este ano, Solange Vale Castro, que tem um pequeno negócio de sacolas e embalagens, venceu em seu estado, o Amazonas, com o relato "Um pacote de conquista e superação".

"Foi com muita dificuldade, muita perseverança, a união do marido, a ajuda dos filhos que estavam passando para a fase da adolescência e vendo que você tinha que buscar algo, um novo horizonte. Às vezes nós não podemos esperar por governo, nós não podemos esperar pelo comércio, porque se a gente for se empregar, vai ganhar 200, 300, 500 reais... porque com trinta e poucos anos o mercado já não te quer mais, ainda mais quando você não tem experiência em carteira, não tem uma profissão formada, uma formação anterior."

A coordenadora Clarisse Veras informa que essa última edição do prêmio Mulher de Negócios recebeu cerca de 1700 inscrições em todo o país e que 20 finalistas foram selecionadas. Clarisse explica que, para participar, as mulheres precisam contar suas histórias como empreendedoras e de como superaram as dificuldades.

"A mulher coloca a sua visão do negócio, a sua situação atual, quantos empregos gera, quantas pessoas são beneficiadas, que benefícios esse negócio traz para a sociedade. Em muitos casos, (principalmente...cooperativa) esse negócio de uma mulher ou de um grupo de mulheres transforma realmente a realidade de toda uma comunidade."

As histórias selecionadas são avaliadas por uma comissão julgadora, que analisam se o caso pode incentivar outras pessoas que querem empreender, se há criatividade, capacidade de transformar um sonho em realidade, e compromisso da mulher com a melhoria de sua aprendizagem e de seus colaboradores.

A partir dos relatos das experiências das ganhadoras, o Sebrae produz vídeos para fins educacionais. O prêmio "Mulher de Negócios" é uma realização do Sebrae, em parceria com a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, a Federação das Associações de Mulheres de Negócios e a Fundação Nacional de Qualidade.

De Brasília, Simone Salles

TERMINA AQUI A SÉRIE DE REPORTAGENS ESPECIAIS DESTA SEMANA, QUE ABORDOU EM QUATRO MATÉRIAS, DESDE SEGUNDA-FEIRA, ALGUNS DOS PROJETOS BEM SUCEDIDOS DO SEBRAE E COMO ELES CONTRIBUEM PARA AS PESSOAS CONSEGUIREM ABRIR E MANTER SEUS PRÓPRIOS NEGÓCIOS. REPORTAGEM E TEXTO DE SIMONE SALLES, PRODUÇÃO DE LUCÉLIA CRISTINA E MÔNICA LYON, EDIÇÃO DE APRÍGIO NOGUEIRA E TRABALHOS TÉCNICOS DE NEWTON GOMES.

A abordagem em profundidade de temas relacionados ao dia a dia da sociedade e do Congresso Nacional.

De segunda a sexta, às 3h, 7h40 - dentro do programa Painel Eletrônico - e 23h

facebook twitter spotify podcasts apple rss

Todas as Edições