Reportagem Especial

Homossexualidade 5 - Saiba como mercado gay cresce no Brasil e no mundo - ( 05' 41" )

Publicação: 03/07/2006 - 00:00

  • Homossexualidade 5 - Saiba como mercado gay cresce no Brasil e no mundo - ( 05' 41" )

NA ÚLTIMA MATÉRIA SOBRE O UNIVERSO HOMOSSEXUAL, VOCÊ VAI SABER COMO O MERCADO GAY ESTÁ CRESCENDO NO BRASIL E NO MUNDO.

O mercado gay está em franca expansão no mundo. São filmes, pacotes turísticos, produtos, publicações, bares, boates, moda... Todo um universo que se abre para o consumo direcionado exclusivamente aos homossexuais. O diretor do Movimento Gay de Minas, Marco Trajano, explica por que o mercado homossexual está saindo do armário.

"Nós, homossexuais, nós temos uma característica, não é que a gente ganhe mais, mas é que na verdade, como nós temos uma estrutura familiar um tanto quanto diferenciada da estrutura familiar heterossexual. Ou seja, eu tenho um parceiro que mora comigo, o Osvaldo, nós estamos juntos há 14 anos. Mas nós não temos filhos. Isso faz com que a minha renda e a renda dele nos favoreça no sentido de que essa renda pode ser aplicada, um quantitativo maior da nossa renda, na diversão, o que muitas vezes não acontece com um casal heterossexual, que precisa diminuir esse percentual da renda, em função da educação dos filhos, médico para os filhos..."

Por isso, avalia Marco Trajano, os casais gays conseguem sair para jantar e viajar mais vezes do que os heterossexuais. Mas ele considera o mercado gay ainda embrionário no Brasil, muito por causa do preconceito da sociedade.

"Uma cervejaria tem muita dificuldade em criar uma campanha voltada para homossexuais, de apoiar eventos homossexuais, porque ela pode ficar conhecida como a cerveja dos gays. E isso vai fazer com que os heterossexuais não consumam esse produto."

A psicóloga Adriana Nunan, autora do livro "Homossexualidade: do preconceito aos padrões de consumo", diz que o mercado gay brasileiro é diferente do existente nos Estados Unidos e na Europa. Ela explica que é mais voltado para serviços, como agência de viagens, locadoras, assessoria jurídica, boates e bares. Mas ainda não existe oferta de produtos e publicações gays, como acontece nos Estados Unidos e na Europa. O diretor de Comunicação e Eventos da Associação Brasileira de Turismo GLS - ABRAT-GLS, Franco Reinaudo, confirma o crescimento do mercado gay.

"O que a gente chama de mercado GLS está muito ligado a um histórico de democracia. Por isso que você tem nos países como os Estados Unidos e Europa, já um mercado estabelecido. No Brasil, como a gente tem um histórico recente, ele têm crescido muito. Esses últimos anos, a gente tem visto um crescimento substancial desse segmento. Não só em relação a empresas de lazer como bares, mas também em outros segmentos, como o turismo, cultura, moda, design."

Nos últimos anos, vem acontecendo um aumento da chegada de turistas gays no Brasil. Franco Reinaudo credita esse fato a eventos que atraem muita gente, como a parada gay de São Paulo, que reuniu 2 milhões de pessoas no mês de junho. Eram quatrocentos mil turistas, de acordo com cálculos da ABRAT-GLS. Em dez anos, a Parada Gay já se tornou o principal evento da cidade, de acordo com o órgão oficial de turismo da capital paulista. Várias outras cidades brasileiras organizam também sua parada gay, o que movimenta o comércio em cada local. Na cidade mineira de Juiz de Fora acontece, todo mês de agosto, o Rainbow Fest. Em uma semana de evento, são realizados debates, seminários e festas, além de festival de cinema gay e feira de moda. O diretor do Movimento Gay de Minas, Marco Trajano, comemora que o evento já faça parte do calendário oficial da cidade, envolvendo toda a população. É um momento de crescimento da economia da cidade, destaca Marco.

"No ano passado, nos 4 dias de rainbow fest, o comércio local movimentou mais de 3,6 milhões de reais. Em média, o turista convencional que chega na cidade de Juiz de Fora, gasta uma média de 64 reais por dia. Durante o Rainbow Fest, onde você tem a grande maioria turismo homossexual, esse turista gasta na cidade, em média, 174 reais por dia. Então é um grande aquecimento no mercado local."

O mercado homossexual está ficando cada vez mais sofisticado, com investimentos no maior poder aquisitivo dos homossexuais. O diretor da ABRAT-GLS, Franco Reinaudo, diz que existem vários cruzeiros gays que têm o Brasil como um dos destinos. Além disso, algumas empresas já oferecem até viagens de veleiro para o público gay.

De Brasília, Adriana Magalhães.

TERMINA AQUI A REPORTAGEM ESPECIAL SOBRE HOMOSSEXUALIDADE. REPORTAGEM E APRESENTAÇÃO DE ADRIANA MAGALHÃES, PRODUÇÃO DE LUCÉLIA CRISTINA, E COORDENAÇÃO DE APRÍGIO NOGUEIRA. NA SEMANA QUE VEM, ESTAMOS DE VOLTA COM OUTRO ASSUNTO, ATÉ LÁ.

A abordagem em profundidade de temas relacionados ao dia a dia da sociedade e do Congresso Nacional.

De segunda a sexta, às 3h, 7h40 - dentro do programa Painel Eletrônico - e 23h

facebook twitter spotify podcasts apple rss

Todas as Edições