Rádio Câmara

Reportagem Especial

Os 50 anos do Programa Nacional de Imunizações - Capítulo 1 (reprise)

22/01/2024 - 00h00

  • Os 50 anos do Programa Nacional de Imunizações - Capítulo 1

Capítulo 1

Até a década de 1960, a vacinação da população brasileira contra diversas doenças era pontual, sem uma coordenação única e, muitas vezes, restrita em termos de área de cobertura. O sucesso de uma campanha de combate à varíola mostrou que a união de esforços era uma boa ideia. E em 1973 foi dado o pontapé inicial do PNI, Programa Nacional de Imunizações.

Entrevistas nesta edição: Antonio Barra Torres, diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); Ethel Maciel, secretária de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde; Nísia Trindade, ministra da Saúde; Mauricio Zuma Medeiros, diretor-geral do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos); Monica Levi, presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm); a deputada [[Ana Pimentel]]; e o deputado [[Dorinaldo Malafaia]].

Capítulo 2

Depois do período mais agudo da pandemia do coronavírus, uma das grandes preocupações das autoridades sanitárias é com a queda da cobertura vacinal para várias doenças. Isso é resultado de um fenômeno que está sendo conhecido como “hesitação vacinal”, ou seja, a dúvida de parte da população em se imunizar.

Capítulo 3

Movimentos antivacinação, que já atuavam antes da pandemia, ganharam força em vários países. A queda na cobertura feita pelos imunizantes trouxe um perigo iminente: a volta de doenças que já estavam erradicadas. 

Capítulo 4

Investimentos podem fazer os laboratórios públicos que produzem vacinas reduzirem a dependência dos outros países, um problema que ficou evidente durante a pandemia do Coronavírus.

Capítulo 5

A adesão às diversas vacinas e a consequente proteção contra doenças ganham importância especial quando se fala em um público específico: quem passa por um tratamento de câncer.

A abordagem em profundidade de temas relacionados ao dia a dia da sociedade e do Congresso Nacional.

De segunda a sexta, às 3h, 7h20 e 23h